Secretaria de Educação de Erechim continua investindo na Educação Inclusiva

Acolher todos os estudantes nos dias atuais, exige identificar as diversas formas de aprendizado, possibilitando recursos pedagógicos que atendam às necessidades de cada um. Quanto maior forem as possibilidades de propostas, maior será a compreensão, o aproveitamento e o desenvolvimento do estudante, eliminando as barreiras que impeçam seu aproveitamento e aprendizado em sala de aula.

As Escolas do Sistema Municipal de Ensino de Erechim, vêm recebendo nos últimos anos vários investimentos na área da inclusão. No ano letivo de 2021, foi adquirido uma impressora em BRAILLE, a qual ampliou a qualidade, e as possibilidades de impressões e que hoje é utilizada na preparação do material de escrita e leitura tátil, a partir da aquisição do Arquivo Digital da Apostila do Sistema de Ensino em braille para o estudante cego. Esse material é um facilitador e integrador do estudante com deficiência, potencializando seu aprendizado, incluindo-o no dia a dia da sala de aula com seus pares. Em 2023, o avanço foi com o Material Didático Impresso na forma das Apostilas Ampliadas para os estudantes com deficiência, autistas e baixa visão. Além de todo material didático-pedagógico e tecnológico, a área da Educação Inclusiva foi contemplada com a formação para os professores do Atendimento Educacional Especializado (AEE).

Mais recursos

“Utilizar os recursos disponíveis para fortalecer o processo de inclusão tem sido um grande desafio diário, desde um simples material confeccionado, até o mais diverso e sofisticado recurso”, lembra o secretário Fabricio Brustolin. A Secretaria Municipal de Educação (SMEd), avança agora com um investimento em três dispositivos de Inteligência Artificial OrCam MyEye, que são equipamentos de tecnologia visual assistiva e permitem o acesso fácil e instantâneo a informações em tempo real, com transmissão por áudio. Serão beneficiados os estudantes com cegueira total das Escolas Municipais do Sistema de Ensino de Erechim.

O dispositivo é discreto, mede 7,6 cm de comprimento, e fica acoplado na haste de um óculos comum. O aparelho possui uma câmera inteligente que é capaz de ler instantaneamente textos de qualquer superfície, reconhecer produtos, cores e cédulas de dinheiro em real ou dólar, rótulos, identificação de faces e até mesmo a cor das roupas. A velocidade pode ser controlada, possibilitando a leitura de 100 a 250 palavras por minuto, permitindo escolher entre voz masculina e feminina, com comandos para pausar, adiantar ou retroceder a leitura.

Na tarde desta quinta-feira (20), na Sala de Reuniões da Secretaria, aconteceu a apresentação dos equipamentos para estudantes, familiares e Equipes Diretivas, além de um treinamento dos dispositivos para as professoras do Atendimento Educacional Especializado, professoras do Apoio ao Processo Ensino Aprendizagem e auxiliares de Disciplina. O prefeito Paulo Polis e o secretário Fabricio Brustolin também acompanharam o treinamento.

Expectativa para o dia-dia

“Esses óculos são uma ideia ótima, pois vai proporcionar mais interação com todas as pessoas da escola, uma atividade diferente para os estudantes. Vai dar mais independência proporcionando, com certeza, mais avanços no trabalho do dia a dia da escola que acolhe as crianças cegas”, relata a auxiliar de disciplina da EMEF Othelo Rosa, Valquiria Taques da Silva.

O Dispositivo de Inteligência e Visão Artificial vai auxiliar os estudantes na realização das atividades letivas diárias, bem como fomentar seu aprendizado, desenvolvendo maior autonomia de suas habilidades escolares e atividades diárias.

A professora do AEE, Guacira de Avila, disse que o material é maravilhoso e vai contribuir para o acesso a novas aprendizagens. “Trabalhar com crianças cegas é sempre um grande desafio e uma nova oportunidade de conhecimento e aprendizagem para nós professores, no entanto, é uma deficiência que exige do professor se reinventar a cada atendimento porque os recursos precisam ser audiovisuais e muitas vezes se esgotam no desenvolver do plano de ação pedagógico para esses estudantes. Acredito que esse recurso vai ampliar tanto o planejamento do trabalho no AEE como no ensino comum trazendo novas oportunidades para os estudantes de conhecer o mundo letrado da escola, como a apostila, livros e a integração com os colegas”, lembra.

Por Assessoria de Comunicação

Você pode gostar também
  • https://cast.youngtech.radio.br/radio/8070/radio
  • https://jornalboavista.com.br/radioculturafm/
  • Rádio Cultura Fm - 105.9 Erechim - RS