Análise das ações públicas pauta reunião do Diretório do MDB

Na noite de segunda-feira (27) os membros do Diretório Municipal do MDB Erechim estiveram reunidos na Casa do Partido para realização de reunião mensal. Em pauta, a análise das ações da administração pública da Capital da Amizade, em especial àquelas que tem frente às pastas de Governo membros do MDB Erechim.

A reunião foi conduzida pelo vice-presidente do partido, Carlos Polis, juntamente com os vereadores Jurandir Pezenatto, Fifo Parenti e Romildo da Silva. Carlos Polis destacou a importância da periodicidade dos encontros do Diretório Municipal para fortalecer o partido, além de trazer para o debate democrático ações que envolvem a melhoria da qualidade de vida da população de Erechim.

“Temos grandes lideranças técnicas e políticas frente às secretarias de Governo da Prefeitura, o que vem ao encontro da proposta de administração elencada ainda na campanha política. Além disso, é fundamental destacar que a nossa equipe de trabalho é extremamente qualificada, o que vem sendo comprovado pelos projetos desenvolvidos pelas secretarias competentes”, disse Carlos Polis.

Entre as ações analisadas, foram debatidas a implantação do IPTU Digital, a inauguração de mais 10 leitos de UTI para a Fundação Hospitalar Santa Terezinha, a digitalização dos processos administrativos, a entrega de uniformes para todos os estudantes da rede municipal de ensino em um investimento de mais de R$ 4 milhões, o Primeiro Encontro Geral de Servidores Públicos, além da sanção da lei que regulamenta o Programa de Recuperação de Recursos Hídricos e Pagamento por Serviços Ambientais (PSA).

Conforme explica Carlos Polis, que destacou a iniciativa inédita da Prefeitura de Erechim, o programa tem como objetivo a conservação da água e do solo em propriedades rurais por meio da redução da erosão, do assoreamento dos mananciais e do incremento da vegetação em beiras de rios e nascentes, com foco no reconhecimento e pagamento aos produtores rurais que aderirem voluntariamente ao programa.

“A remuneração dos agricultores que aderirem ao programa ocorre a partir da certificação de práticas conservacionistas adotadas pelos mesmos, orientadas com vistas à conservação de água e solo dentro da realidade individual de cada propriedade. Reconhecer o agricultor como promotor de práticas ambientais que geram sustentabilidade produtiva e ambiental, e que impactam positivamente na vida de todos é o objetivo dessa gestão”, finaliza Carlos Polis.

Por Assessoria de Comunicação

Você pode gostar também
  • https://cast.youngtech.radio.br/radio/8070/radio
  • https://jornalboavista.com.br/radioculturafm/
  • Rádio Cultura Fm - 105.9 Erechim - RS