Missa de corpo presente e sepultamento do padre mais idoso da Diocese de Erexim

Neste tempo litúrgico das solenidades da Santíssima Trindade (26/5), Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo (30/5) e Sagrado Coração de Jesus (07/6), aos 93 anos e 6 meses, no Hospital de Caridade de Erechim, às 02h de quarta-feira, dia 5, faleceu Pe. Geraldo Paschoal Moro, o padre mais idoso da Diocese.

 

Em março deste ano, no Hospital São Vicente de Paulo de Passo Fundo, havia sido submetido a cirurgia de alto risco do coração para desobstrução de uma válvula. Desde o dia 31 de maio, estava internado no Hospital de Caridade de Erechim por complicações estomacais e respiratórias. Seu atestado de óbito registra broncopneumonia, insuficiência cardíaca e respiratória.

 

O velório foi na Catedral São José bem como a missa de corpo presente, presidida por Dom Adimir Antonio Mazali e concelebrada por 28 padres, com a participação de 3 diáconos permanentes e o cerimoniário Pe. Lucas Stein.  Seu sepultamento foi no Cemitério Municipal Pio 12 de Erechim.

 

A homilia de Dom Adimir

Iniciou destacando que a missa de corpo presente do Pe. Geraldo era celebração do Deus da vida, Senhor do tempo. Referiu-se às leituras e ao evangelho que proclamavam a ressurreição de Cristo, constituído juiz dos vivos e dos mortos, o ministério sacerdotal e a missão de Cristo de anunciar a Boa Nova da salvação pela ação do Espírito Santo. Registrou que a estola com que o corpo do Pe. Geraldo estava trazia a inscrição “Tu és sacerdote eternamente”. Ressaltou que ele viveu a missão de Cristo. Desejou que o testemunho dele, no contexto da Diocese de Erexim, seja estímulo para muitos jovens assumirem a vocação ao sacerdócio. Teceu considerações a partir da lembrança de falecimento que o próprio Pe. Geraldo já havia imprimido. Nela colocou a imagem de N. Sra. com os dizeres “Bênção Mãe”, a imagem do terço com a oração do Anjo do Senhor, da cruz com o refrão “vitória tu reminarás”, do bom pastor com o refrão “ó morte onde está tua vitória”. Na lembrança, manifestou também agradecimento a Deus por tê-lo chamado à vida para exercer o sacerdócio, por lhe ter dado Maria como Mãe, o Anjo da Guarda, por chamá-lo para eternidade e a prestar contas. Colocou ainda seu lema “eis aqui o servo do Senhor”, pedido de perdão a Deus por seus pecados e à Igreja por suas falhas. No final da missa, o Bispo agradeceu às cuidadoras do Pe. Geraldo recentemente e à funcionária dos serviços domésticos na residência paroquial em São Valentim e que continuou com ele em Erechim. Assegurou-lhe que as cuidadoras continuarão com ela.

 

Mensagens dos padres

No final da celebração, padres manifestaram-se em nome de todo o presbitério,

– Pe. Jean Carlos Demboski, Pároco da Paróquia N. Sr. do Monte Claro de Áurea, como representante dos padres na comissão regional de presbíteros, ressaltou a vida e o ministério do Pe. Geraldo por tão longo tempo. Recordou que em sua ordenação presbiteral, no dia 21 de julho de 2018, na igreja Santo Antonio de Jacutinga, de onde é natural, foi acolhido com abraço afetuoso no presbitério pelo padre com menos tempo de ministério e pelo de mais tempo, respectivamente, Isalino Rodrigues com 4 anos e meio e Pe. Geraldo com mais de 60.

 

– Pe. Jorge Elias Dallagnol, Pároco da Paróquia Santa Ana de Carlos Gome, pela proximidade com o Pe. Geraldo. Ressaltou o trabalho pastoral do Pe. Geraldo nas diversas comunidades em que atuou. Registrou de modo particular o acompanhamento que ele deu a agricultores da região, especialmente de São Valentim, que se estabeleceram em Guarantã do Norte, Mato Grosso, em 1982. Ele adquiriu uma imagem de N. Sra. da Salette e levou para lá, iniciando a romaria com aquela invocação. Em 2012, a Câmara de Vereadores e a Prefeitura concederam a ele o título de cidadão da cidade por sua atuação no início daquele município.

 

Dados biográficos do Pe. Geraldo

Vigário paroquial de Três Arroios, em 1957 e 1958; promotor vocacional da Diocese de Passo Fundo e vigário paroquial da Paróquia São José de Erechim, no ano de 1959; pároco de São Valentim do Guaporé, no ano de 1960; vigário paroquial da Catedral de Passo Fundo, em 1961; primeiro pároco da Paróquia Santo Antonio, Bairro Petrópolis, Passo Fundo, de 1962 a 1965; Pároco de São Valentim na atual Diocese de Erexim de 1966 até 19 de fevereiro de 1994. Deixando a Paróquia de São Valentim, foi liberado para um tempo “sabático”, isto é, para estudo, descanso, revitalização, residindo em Erechim. De 1995 em diante, esteve à disposição para auxílio em diversas paróquias da Diocese, permanecendo em Erechim, sem função eclesial determinada. Como pároco de São Valentim, foi administrador paroquial de Entre Rios do Sul e Benjamim Constant do Sul. Depois que se estabeleceu em Erechim, por algum tempo, foi administrador paroquial de Paulo Bento e Mariano Moro. Em São Valentim, exerceu também o magistério em escola pública.

 

Por assessoria de comunicação

Você pode gostar também
  • https://cast.youngtech.radio.br/radio/8070/radio
  • https://jornalboavista.com.br/radioculturafm/
  • Rádio Cultura Fm - 105.9 Erechim - RS