Ciências Biológicas da URI realiza Curso de Taxidermia

O Departamento de Ciências Biológicas da URI  realizou no último final de semana, dias 28 e 29, um Curso de Taxidermia, ministrado por Marcelo Zvir de Oliveira. O objetivo foi capacitar profissionais para a realização de taxidermia em animais, visando a conservação da biodiversidade em coleções científicas e didáticas.

A Taxidermia é a arte de montar ou reproduzir animais para exibição ou estudo. É usada para a criação de coleção científica ou para fins de exposição, sendo uma importante ferramenta nesse processo de conservação, trazendo também uma alternativa de lazer e cultura para a sociedade.

Como principal objetivo está o resgate de espécimes descartados, reconstituindo suas características físicas e, às vezes, simulando seu habitat o mais fielmente possível para que possam ser usados como ferramentas para educação ambiental ou como material didático. É um procedimento exercido por biólogos, que envolve conhecimentos de diversas áreas além da Biologia, como Química, Anatomia, Comportamento, Ecologia, Artes Plásticas, entre outras. É uma técnica aplicada somente em animais vertebrados e seus registros mais antigos remontam ao império egípcio, a cerca de 2.500 A.C.

Segundo a professora Sônia Zakrzevski, Chefe do Departamento, a técnica vem sendo empregada na URI Erechim com o objetivo de compor exposições didáticas e científicas no MuRAU (Museu Regional do Alto Uruguai). Por meio dela é possível preservar as características dos animais, sua pele e seu tamanho, a fim de que pareçam o mais real e natural. Durante o Curso foram utilizados animais criados e silvestres que foram encontrados mortos (normalmente em função de atropelamento) e doados pela comunidade ao Museu da URI. “Com a realização do Curso foi possível desenvolver competências técnicas para que os futuros biólogos atuem na preparação de materiais para exposições em museus (Museus de Zoologia), na criação de coleções científicas, em exposições, proporcionando maior entretenimento e cultura para toda população”, explicou.

Comentários estão fechados.