Vereadores solicitam ao Executivo pagamento de escolas terceirizadas impossibilitadas de prestar serviço durante a quarentena

Na última segunda-feira (30), durante a realização da sétima sessão ordinária do Poder Legislativo erechinense em 2020, os vereadores encaminharam ao Poder Executivo um pedido de providências referente a situação das escolas terceirizadas em meio à paralisação decorrente das medidas de prevenção ao novo coronavírus. No documento, os edis solicitam que seja realizado o pagamento das referidas instituições, que estão impossibilitadas de prestarem serviço ao município enquanto o decreto de calamidade pública é vigente, com obrigação de recuperar os dias/horas do serviço após o final da restrição de atividade.

Os parlamentares recordam que as escolas credenciadas só têm seu pagamento efetivado quando da realização das aulas. Como o ano letivo teve início em 19 de fevereiro, foram pagos somente cinco dias de aula. “Em razão de todas as despesas em relação à estrutura de pessoal, locação de imóvel e melhorias permanecerem durante os 12 meses, é necessário que os pagamentos previstos no planejamento continuem sendo efetivados, mesmo que estejamos frente a uma pandemia, com diversos decretos e medidas restritivas”, afirmam.

Caso estas restrições ainda permaneçam por tempo indeterminado, os vereadores temem que a situação se agrave ainda mais. “Se isso se prolongar, e as escolas terceirizadas continuarem a não receber, elas não terão condições de arcar com suas obrigações. É possível que algumas cheguem a fechar as portas, fazendo com que mais de 750 famílias passem a não ter onde levar seus filhos, além de causar o desemprego de cerca de 150 profissionais que atuam nestas escolas”, completam.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais