Inovação marca os trinta dias do Hospital Unimed Erechim

Satisfação do cliente é de 99,29% avaliando atendimento, confiabilidade e estrutura física

99

Um espaço moderno e humanizado, que privilegia o trabalho médico de excelência e o conforto do paciente, estimulando a saúde e a pronta recuperação. Em essência, esta é a razão de ser do Hospital Unimed, que completa um mês de funcionamento. Com um novo conceito, representando um marco para a saúde do Norte do Rio Grande do Sul, o Hospital foi inaugurado no dia 21 de outubro deste ano. São 232 médicos cooperados, 35 leitos, 3 salas cirúrgicas, um pronto atendimento e diversas áreas técnicas que contam com o suporte de especialistas e alta tecnologia.

Projetado em cada detalhe, o Hospital Unimed busca melhorar a experiência das pessoas com foco na humanização e bem-estar. A inovação está presente em toda a estrutura do hospital, como o serviço de cuidado com o cliente na alta hospitalar (secagem de cabelo e maquiagem), visita em qualquer horário e motoristas à disposição dos médicos para realização de serviços diversos.

De 30 de outubro até 23 de novembro, foram 78 procedimentos (35 Unimed e 43 particulares) com 32 médicos.  Foram 121 atendimentos: 19 pacientes ambulatoriais, 19 pacientes ambulatórias cirúrgicos, 78 pacientes cirúrgicos e cinco pacientes clínicos.

A satisfação do cliente retrata na prática que tudo que foi pensado, executado e colocado em funcionamento está dentro do serviço de excelência: qualidade no atendimento (98,40%), confiabilidade (100%); estrutura física (99,47%), perfazendo uma média geral de 99,29%.

Os leitos de internações foram concebidos a fim de aproximar o paciente a um espaço residencial e hoteleiro, com janelas amplas, jardins e detalhes mobiliários projetados para este objetivo. As áreas que precisam transmitir acolhimento ganharam pisos de manta vinílica. Outras em que o fluxo é intenso receberam porcelanato, que é de fácil manutenção no dia a dia. Nas escolhas dos materiais, adquiridos em sua maioria de empresas locais, foram compatibilizados critérios estéticos com desempenho, regulamentações e a correta higienização. As esquadrias automáticas em alumínio, teladas e com vidro duplo contribuem para o conforto térmico e acústico, sendo que as esquadrias externas estão dispostas com o fim de barrar sons impertinentes e todo o tipo de incômodos.

A iluminação é outro fator que impacta no aconchego, pois está diretamente relacionada ao bem-estar dos pacientes e da equipe médica. Buscou-se o diferencial do formato longilíneo linear para mudar a forma de iluminar. O objetivo é atingir o equilíbrio – fazendo com que os ambientes sejam iluminados, sem superaquecimento, ou sensação de cansaço visual ou ofuscamento. A cor da lâmpada influencia diretamente no conforto dos pacientes e também dos funcionários. Nos leitos a iluminação permite o exame, a leitura e o descanso de diferentes formas, além da refeição – que é preparada em cozinha própria e com auxílio de nutricionistas, conforme a necessidade do paciente. O projeto das portas também foi especialmente desenvolvido evitando a existência de superfícies porosas, inclusive no interior e em todas as extremidades; bem como redução de vincos, com materiais diferenciados. Os puxadores das portas foram personalizados e também confeccionados manualmente em aço por empresa local.

Para fixação das reproduções das obras de arte ao longo dos corredores do Hospital, numa parceria com o Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS), foram projetados painéis de vidro e aço. O uso destes painéis com reprodução das obras artísticas possibilita que os visitantes tenham uma experiência diferente a cada ambiente. Quem está na sala de espera observa a parede verde e quem está andando pelos corredores se depara com reproduções de artistas selecionados do acervo do MARGS.

No espaço sacro também o elemento cultural foi valorizado a partir de uma escultura em aço e bronze do Espírito Santo, de autoria de Harrysson Testa, que abraça a todas as religiões, com a proposta de entregar conforto, introspecção e serenidade. Nela, resplandece o seguinte pensamento de Dante Alighieri, o primeiro e maior poeta da língua italiana: ‘Da quel punto dipende il cielo e tutta la natura’.

O Hospital Unimed também foi buscar o que há de mais inovador e avançado em termos de equipamentos para oferecer ao seus médicos e pacientes. No entanto, cada máquina será operada por pessoas focadas no cuidado de excelência. Essa ligação é a essência do trato médico e da proposta de trabalho da Unimed Erechim.

Na Central de Material e esterilização, setor básico e imprescindível, o Hospital possui duas autoclaves de barreira, afiançando a qualidade da esterilização dos materiais utilizados nos procedimentos cirúrgicos, sejam internados ou ambulatoriais. Além disso, a termodesinfectora destinada à lavagem, enxágue, desinfecção térmica e secagem automática de instrumentais, e outros, possui completa linha de acessórios com sistema de controle automático de última geração, permitindo receitas de programação.

Por sua vez, o Centro Cirúrgico, com três salas modernas e amplas, oferece aparelhos de anestesia de última geração; climatização; fluxo laminar de ar (formando uma cortina protetora, reduzindo risco de contaminação); mesas cirúrgicas que permitem todos os tipos de cirurgia; iluminação com focos de LED; e sala de recuperação pós-anestésica com monitores que se comunicam, via Wi-fi, direto à central de monitorização.

Os quartos – privativos e semiprivativos – têm controle remoto para ajuste de camas e janelas, distribuídos num ambiente planejado para oferecer o conforto necessário à pronta recuperação. Nas camas, há guardas laterais que facilitam a mobilidade dos pacientes nos leitos. Um dos quartos privativos também atende como uma unidade semi-intensiva dotada de aparelho respirador (ventilador mecânico), monitor e cárdio desfibrilador, garantindo atendimento a um paciente mais crítico.

Os critérios de sustentabilidade fazem parte do projeto em todos os quesitos. Desde o início com o correto gerenciamento dos resíduos da construção; introduzidos como pré-requisitos em projetos que preveem o aproveitamento da energia solar, reutilização da água da chuva e; respeitando-se os critérios de reciclagem, reaproveitamento, vida útil, materiais e mão-de-obra regionais (preferencialmente dentro do raio do 800 km) na seleção de todos os materiais utilizados.

Para o presidente da Unimed Erechim, Alcides Mandelli Stumpf, “é essencial esse cuidado todo para que o paciente não se sinta mais um, mas alguém acolhido desde a chegada. Esse primeiro mês de funcionamento está acima da expectativa e gostaria de agradecer publicamente aos médicos cooperados que entenderam a importância do nosso hospital para toda a comunidade regional”.

A entrada do hospital conta com uma parede verde e um mosaico de mármore, além do painel concebido a partir de uma fusão harmônica das etnias que formaram Erechim e região Norte do RS. O traço local, aliás, é outro marco importante da obra. “Fizemos questão de valorizar as raízes, pois, a partir dos colonizadores de nossa terra – italianos, alemães, judeus, poloneses e outros, é que Erechim se desenvolveu. Preservar esta memória, é manter vivo no presente um pouco de nossa essência”, reforça Stumpf.

Você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.