Somos corresponsáveis pelo presente e pelo futuro do nosso País!

O Papa Francisco, a respeito do Cristão e da Política, assim diz: “Para os cristãos, é uma obrigação envolver-se na política. Nós, cristãos, não podemos fazer como Pilatos: lavar as mãos. Não podemos! Devemos nos envolver na política, pois ela é uma das formas mais altas da caridade, porque busca o bem comum. E os leigos cristãos devem trabalhar na política. Você então me dirá: não é fácil, pois a política está muito suja. E, então, eu pergunto: A política está suja, por quê? Não será porque os cristãos se envolveram na política sem o espírito do Evangelho? Faço-lhe outra pergunta: É fácil dizer que a culpa é do outro, mas eu o que estou fazendo? É um dever trabalhar para o bem comum, é um dever do Cristão!”
Albert Einstein, já dizia: “As equações são mais importantes para mim, porque a política é para o presente, mas uma equação é algo para eternidade”.
Inspirado nas cartilhas de orientação política de 2014, 2016 e 2018, desejo destacar que: Político bom é aquele que tem uma proposta viável, defende a vida, os direitos humanos, é sensível aos problemas dos empobrecidos, luta pelo bem comum de todos e é comprometido com o Evangelho.
O bom político: é ético e corajoso, é defensor da vida, é humano e popular, defensor da justiça social que sabe tratar a todos com respeito. Tem sensibilidade ecológica, é estrategista e tem boa visão de futuro, e é administrador porque sabe alavancar sucessos e não gasta além do que arrecada e não contrai dívidas exageradas.
Seu voto não tem preço, tem consequências.
• O bom eleitor não vota contrariando sua opinião
• O bom eleitor não vende seu voto e nem o troca por favores
• O bom eleitor não vota sem conhecer o programa do candidato e do partido dele
• O bom eleitor não vota sem conhecer o passado do candidato
• O bom eleitor não se deixa corromper e nem corrompe seu próximo.
Vote consciente e depois acompanhe seu eleito.

“O preço a pagar pela tua não participação na política
é seres governado por quem é inferior” – Platão.

Padre Presentino Rovani

Comentários estão fechados.