Os leitores do Fábio terão de esperar

Uma campanha diferente e Ficha limpa

Na semana passada eu me preparava para entrar em sala de aula e trabalhar mais um período de História do Brasil, quando recebi uma ligação. Era o seu Egídio Lazzarotto. O tema da ligação era a possibilidade de eu escrever a coluna do Fábio naquela semana. O motivo era extremamente nobre: o nascimento da Alice. O Fábio, dessa forma poderia ficar curtindo a sua bebezinha, babando e, sem dúvidas nenhuma, ajudando a Carla nesse momento. Confesso que fui pego de surpresa. Quando o Egídio me pediu para escrever a coluna eu meio que não pensei. Respondi que sim. À tarde já durante o programa BV Esportes, em que me arrisco a palpitar sobre esportes com o Fábio, o Mano, Egídio, Thiago e Luís Fernando, é que fui me dar conta da responsabilidade de tal missão.
A coluna do Fábio é com certeza uma das mais lidas da cidade. Fábio e seu Egídio são altamente bem informados, tenho certeza que durante a semana seus leitores aguardam ansiosamente as suas colunas para saberem das novidades da cidade. Assim como os demais colunistas do Jornal Boa Vista, cada um com sua especialidade. Para a minha maior surpresa ainda, no domingo à noite o seu Egídio me pediu para escrever esta semana novamente. Os leitores do Fábio terão de esperar por mais um tempo até que ele volte a escrever na coluna em que é titular. Tenho certeza que apesar da licença paternidade, o Whatsapp do Fábio não para de receber novidades dos bastidores da política local e do esporte. Quando ele voltar a coluna vai estar recheada…

 

Uma campanha diferente
Tenho observado muito as propagandas eleitorais. É uma campanha diferente. Me parece que não há mais tanta poluição sonora das campanhas. O circo que está na cidade faz bem mais barulho. Lembro que em outros anos aqui em Erechim era uma loucura. Um carro de som atrás do outro. Jingles mal elaborados tomavam conta dos nossos ouvidos. Por outro lado, observei que outra prática abominável nas campanhas tem acontecido corriqueiramente. Andando pelas ruas da cidade é comum encontrar conjuntos de santinhos jogados nas calçadas. A cidade fica suja. É uma pena que ainda hoje uma prática de campanha primitiva como esta tenha adeptos. Cabe aos candidatos instruírem seus cabos eleitorais a não realizarem a chamada derrama. Essa prática que nas vésperas de eleição é considerada crime eleitoral. Deveria ser sempre.

 

Ficha limpa
Outra observação que cabe nesse período eleitoral são as propostas dos candidatos ao legislativo. Eu sei que o tempo que cabe a cada um durante a propaganda de rádio e televisão é minúsculo, mas os candidatos não se ajudam. Para muitos o grande pedestal da campanha é se apresentar como “ficha limpa”. Ora, ao que me parece a chamada “Lei da Ficha Limpa” serve exatamente para isso. Logo, se o sujeito é candidato, é “ficha limpa”. Ou é isso ou a lei não está sendo aplicada como deveria. Pelo menos não para todos. Fora isso teoricamente todos deveriam ser “ficha limpa”. Outro argumento preferencial dos candidatos é honestidade. Não quero dizer que os candidatos não sejam honestos, mas apenas ser honesto não basta. Há aqueles que se apresentam como “novidade”, sem exatamente mostrar que tipo de “novidade” representa. Tem quem esteja na política há anos, ocupando os mais diversos cargos públicos, apresentando-se como novidade. As propostas, projetos e ideias dos candidatos ao legislativo simplesmente não existem. Pelo menos não na campanha eleitoral de rádio e tv.

 

Por Ricardo Conceição

Comentários estão fechados.