Semana Acadêmica de Psicologia da URI analisa o adoecimento físico e psíquico

 

Com a apresentação de relatos de experiências dos casos do incêndio da Boate Kiss, em Santa Maria, o acidente aéreo da Chapecoense e o desastre provocado pelo rompimento da barragem de Brumadinho, em Minas Gerais, encerra nesta sexta-feira, 30, a programação da 15ª Semana Acadêmica do Curso de Psicologia da URI. Os primeiros três dias da Semana Acadêmica trouxeram reflexões muito importantes para todos os profissionais da área da saúde.

A programação foi aberta na segunda-feira, 26, quando o Coordenador do Curso, professor Felipe Biasus enfatizou que o tema da Semana, a interface velada da psicologia: do adoecimento físico ao psíquico, é de extrema importância para a prática do psicólogo e para a interlocução com as diferentes áreas da saúde já que a psicologia pode ganhar força em cenários de emergências e desastres.

A primeira noite contou com duas conferências. A primeira delas foi sobre os “Desafios da Emergência: a equipe multidisciplinar”, proferida pelo Professor Gustavo Cavalcante, enfermeiro e professor da UPF. Gustavo enfatizou o trabalho da equipe multiprofissional e a complexidade do dia a dia de uma emergência hospitalar. Deixou claro a importância do papel do psicólogo no ambiente hospitalar e de como os profissionais devem trabalhar em equipe podendo atuar com coesão para oferecer um atendimento de excelência.

A segunda conferência foi sobre os “Protocolos de atendimentos à urgência e emergências: o trabalho do corpo de bombeiros”, e contou com a presença do Major Alexandre Bauer. De forma didática e generosa, compartilhou a experiência dos bombeiros, os treinamentos e o preparo que recebem, bem como os desafios que enfrentam na sua prática.

Na terça-feira, 27, foi apresentado o documentário “A partida final” (disponível no netflix) que retrata a realidade de pacientes e suas famílias frente a terminalidade enfatizando os cuidados paliativos. Na sequência, o médico oncologista Juliano Sartori e a Psicóloga Mariana Alievi Mari, ambos professores da URI, trouxeram discussões e reflexões acerca do tema pontuando a importância do conceito de cuidados paliativos e o preparo necessário dos profissionais envolvidos no cuidado de pacientes graves e terminais.

Logo após, os participantes da Semana Acadêmica foram recepcionados com um coquetel e música ao vivo para comemorar o Dia do Psicólogo, ocorrido na terça-feira.

O terceiro dia de atividades, na quarta-feira, 28,  contou com a realização de uma mesa-redonda sobre a doação e transplante de órgãos – da perspectiva do doador ao receptor. O encontro teve a participação da Psicóloga do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Rosemary Viana; da Psicóloga do Hospital Santa Terezinha de Erechim, Luana Fontanella; do Médico Nefrologista, Jean Zanardo; e da enfermeira responsável pela organização de procura de órgãos e tecidos/OPO 4, Fabiana Dal’Conte Buzatto.

Todos os profissionais apresentaram a sua experiência, compartilhando com o público as características do processo de doação e transplante, as dificuldades operacionais e emocionais que permeiam este processo tanto para a família que aceita fazer a doação quanto a para família e paciente que aguardam na lista de espera por um transplante.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais