Mais de 250 produtores rurais, técnicos e engenheiros agrícolas participam do V Fórum Norte Gaúcho do Milho 

Evento realizado em Getúlio Vargas contou com palestras técnicas sobre manejo da cultura, mercado e previsão climática

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Mais de 250 produtores rurais, técnicos agrícolas, engenheiros agrícolas e estudantes participaram, em Getúlio Vargas, nesta sexta-feira, 27 de julho, do V Fórum Norte Gaúcho do Milho. O evento, que foi promovido pela Prefeitura de Getúlio Vargas, Sindicato Rural de Getúlio Vargas, Accias, Emater/RS Ascar, Faculdade Ideal e Associação dos Engenheiros Agrônomos de Getúlio Vargas, foi realizado no Centro Comunitário Centenário, das 8 às 16h30min. O encontro de produtores contou com patrocínio da Sicredi Estação, Pioneer e Olfar, e apoio de Cotrijal, Cooperalfa, Santa Clara, Faculdade Ideau e Brevant Sementes.

A solenidade de abertura contou com a presença do Prefeito de Getúlio Vargas, Mauricio Soligo; do Presidente do Sindicato Rural de Getúlio Vargas, Sidnei Beledeli;  do Secretário de Desenvolvimento Econômico, Ademar José Rigon; do Diretor de Agronegócios da ACCIAS, Luiz Carlos da Silva; do Gerente do Escritório Regional da Emater/ Ascar/RS, Gilberto Tonello; do Coordenador do Curso de Agronomia da Faculdade Ideau, professor Ronaldo Meirelles; do presidente da Sicredi Estação, Euzébio José Rodigheiro; e do engenheiro agrônomo Paulo Edgar da Silva, representando a Associação dos Engenheiros Agrônomos da Regional Getúlio Vargas. Gilberto Tonello e o prefeito Mauricio Soligo fizeram os pronunciamentos na cerimônia, destacando a importância do evento para o aumento da produtividade na região.

PREVISÃO DE POSSÍVEL EL NINHO

A primeira palestra foi do Meteorologista, Flávio Varone, que apresentou a previsão climática para a primavera e verão no Rio Grande do Sul. Ele falou sobre as condições ocorridas  – chuva e temperatura máxima e mínima de agosto de 2017 a junho deste ano, focando nos três estados do Sul e em Getúlio Vargas; as condições atuais e evolução recente levando em consideração a temperatura da superfície do mar (TSM); o índice oceânico; a previsão da temperatura da superfície do mar; e a previsão desta temperatura. O meteorologista também mostrou um histórico de episódios de El Niño e La Niña baseado nos valores de ONI (Índice Oceânico Niño) e as tendências para os próximos meses de precipitação e temperatura.

Segundo Flávio Varone, poderemos ter um possível evento El Niño (Anomalias Quentes de TSM). Conforme falou Varone, a tendência para os próximos meses são as seguintes: Agosto úmido e frio, com chuva acima da média; Primavera com chuva e temperaturas acima da normal; Estabelecimento do El Niño poderá provocar fenômenos meteorológicos extremos (chuva intensa, ventos fortes, granizo…); e Provavelmente o Verão deverá ser mais quente e úmido.

2018 – ANO DO MILHO SAFRA

A segunda palestra foi do engenheiro agrônomo e Mestre em Produção Vegetal, Luiz Gustavo Floss, que falou sobre Milho, caminhos para alta produtividade, focando em fisiologia e manejo. Ele iniciou apresentando um cenário mundial e nacional, oferta e demanda de milho e afirmou que 2018 é o ano do milho safra.

Apresentou uma escada da alta produtividade com seus seis degraus: 1. Equilíbrio químico e físico do solo, destacando a necessidade da rotação de culturas; 2. Adubação Equilibrada, de acordo com a produtividade desejada, macronutrientes e micronutrientes; 3. Genética adequada – Híbrido X Época de semeadura X Densidade de plantas; 4. Manejo fitossanitário – plantas daninhas, pragas e doenças; 5. Equilíbrio hormonal das plantas – uso de bioativadores e bioestimulantes; 6. Equilíbrio biológico do solo – Incremento de microrganismos para melhoria química e física do solo. Ainda falou sobre planejamento de semeadura, espaçamento entre linhas, densidade e qualidade de semeadura, posição da semente, formação da planta e sistemas de produção no Brasil.

            IMPORTÂNCIA DO MILHO NA ROTAÇÃO DE CULTURAS

Em seguida, foi a vez do Engenheiro Agrônomo, Doutor em Agronomia – Solos e Nutrição de Plantas, Elmar Luiz Floss,  palestrar sobre Ecofisiologia e Nutrição de milho para altos rendimentos. Ele iniciou sua manifestação destacando o que chamou de oportunidades para cultivo do milho que são demanda crescente no mercado interno; exportações crescentes; preço bom; e prognósticos climáticos favoráveis. Floss foi categórico em enaltecer a importância do milho no sistema de produção, destacando a importância agronômica – rotação de culturas, consolidação do sistema de semeadura direta; a busca de maior potencial de rendimento; o aumento da rentabilidade da propriedade; e o efeito no rendimento da soja. Ele também destacou os benefícios do milho para a rotação de culturas, apresentando dados de estudos e a diferença de produtividade de soja pós soja x soja pós milho.

Para Floss, os fatores essenciais para alto rendimento do milho são: híbridos com alto potencial genético e adaptabilidade à região e época de semeadura; qualidade da semente (vigor) e tratamento adequado; solos com boas propriedades físicas, químicas e biológicas; qualidade da semeadura (densidade, velocidade e profundidade); adubação equilibrada (macro e micronutrientes); controle rigoroso de plantas daninhas, pragas e moléstias; e colheita antecipada.

O Doutor em Agronomia ainda relatou os principais fatores limitantes ao rendimento do milho: plantio de apenas um híbrido numa mesma época; baixa densidade de plantas (alta velocidade de semeadura, solo frio, muita profundidade, pragas de solo); falta de cobertura (palhada) no solo; adubação nitrogenada abaixo do necessário; estiagens; salinidade devido ao potássio na linha; e deficiência de  zinco, molibdênio e boro no solo.

Ao concluir ele recomendou: utilizar híbridos de acordo com o nível de tecnologia utilizado; cuidado com a densidade de plantas; evitar excesso de calagem em superfície na semeadura direta; adubação nitrogenada adequada (dose e época); diversificar épocas de semeadura; diversificar híbridos de diferentes ciclos; e realizar adubação verde.

MERCADO

O Economista Chefe da Farsul, Mestre em Economia Aplicada e Doutor em Economia, Antonio da Luz, explanou sobre Análise e Perspectivas para o Mercado do Milho 2018/2019. De acordo com o palestrante, em nível mundial há uma retomada da produção, mas ainda em níveis longe do recorde. Os baixos preços do milho no mercado internacional têm desestimulado a produção nos EUA. Já o consumo deve ser recorde e não para de crescer. Segundo ele, o consumo segue sendo guiado pela China. Ele informou que faltou milho em 2018 e deve faltar novamente em 2019, reduzindo os estoques; e somente o Brasil pode mudar esse cenário. Conforme disse, os estoques mundiais estão em queda novamente e isso torna o panorama do preço mais firme.

Segundo ele, o milho ainda tem fundamentos bem sólidos em nível mundial, entretanto, as turbulências causadas pela guerra comercial podem diminuir o apetite, tanto no curto quanto no longo prazos. No Brasil, conforme falou, temos um cenário bom para 2019, mas não é ótimo como foi o de 2018. “Temos uma expectativa de produção maior e de elevação de estoques e temos uma crise grave no setor de suínos e aves”, sentenciou. Antonio da Luz ainda destacou as turbulências cambiais que dão o tom das exportações e criticou o tabelamento absurdo do frete. Conforme falou, há incertezas sobre o orçamento do ano que vem para política de comercialização.

Finalizando as palestras, o engenheiro agrônomo e Mestre e Doutor em Entomologia, Leandro do Prado Ribeiro, falou sobre Manejo de Doenças na Busca de Altas Produtividades. Ele iniciou sua apresentação explanando sobre as pragas iniciais e os componentes de rendimento e manejo em pré-semeadura. Ele falou sobre percevejos em milho: espécies, danos (período crítico) e aspectos bioecológicos e comportamentais e as estratégias de manejo destes percevejos e concluiu com a  Lagarta-do-cartucho: a biotecnologia e as boas práticas agrícolas. Ele finalizou falando sobre cultivos Bt e boas práticas agrícolas, entre elas a dessecação antecipada, uso de sementes certificadas, tratamento de sementes, área de refúgio, controle de plantas daninhas e voluntárias, monitoramento de pragas.

 

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais