Cooperativas de Erechim reúnem 102 mil associados e R$ 125 milhões de capital

Números foram revelados pelo presidente da Ocergs-Sescoop/RS, Vergílio Perius, durante lançamento do Projeto DIS

Quando a equipe diretiva da Rádio Cultura e do Jornal Boa Vista, capitaneada pelo presidente da Fundação CEAS, Egídio Lazzarotto, celebrou a parceria com o Sistema Ocergs-Sescoop/RS para viabilizar o Projeto DIS – de Desenvolvimento, Inclusão e Sustentabilidade, os presentes ao encontro, realizado na sala do líder cooperativista e presidente da Ocergs-Sescoop/RS, Vergílio Perius, em Porto Alegre, sabiam que o desafio proposto era grandioso, bem-vindo e necessário.

Afinal, estimular a confiança, divulgar as ações e fortalecer a filosofia cooperativista, ramo que responde direta ou indiretamente por cerca de 60% das economias geradas no Alto Uruguai, é algo nobre – sem qualquer trocadilho que remeta a um passado marcado por erros e acertos.

Aliás, na esteira de um passado incrustrado no presente e com os olhos voltados ao futuro o Projeto DIS foi lançado na última sexta-feira, 22, no Centro de Qualidade de Vida da Unimed Erechim.

Diante de expoentes do sistema cooperativista estadual e local – com transmissão do evento ao vivo pela Rádio Cultura 105.9 FM – as propostas do DIS foram apresentadas, prevendo inserções diárias e notícias exclusivas nos veículos de comunicação do grupo CEAS, pelas quais as cooperativas parceiras divulgarão projetos, ações e atividades diversas.

O lançamento

Além da apresentação dos próximos passos do Projeto DIS, as lideranças fizeram uso da palavra. O primeiro a se manifestar foi o presidente da Fundação CEAS, Egídio Lazzarotto, que fez um resgate das origens cooperativistas dos veículos de comunicação do Grupo CEAS.

Em seguida, foi a vez do presidente da Câmara de Vereadores, Rafael Ayub; do presidente da Cotrel, Luiz Paraboni Filho; e do presidente da Unimed, Alcides Mandelli Stumpf – anfitrião do evento, e que pontuou a importância da intercooperação entre as entidades do setor, bem como o interesse pelo desenvolvimento da comunidade.

Em seu pronunciamento, o presidente da Ocergs-Sescoop/RS, Vergílio Perius, além de destacar a força do cooperativismo em Erechim – setor que movimenta R$ 125 milhões de capital entre seus 102 mil associados – também teceu considerações a respeito do cenário cooperativista gaúcho, que conta com 2,8 milhões de associados.

No encerramento das atividades, que foram acompanhadas por um café-da-manhã da Confeitaria e Padaria A Lareira, o prefeito de Erechim, Luiz Francisco Schmidt, endossou o projeto da Fundação CEAS e demais parceiros, colocando o município na condição de apoiador da proposta.

Estiveram presentes, também, os presidentes da Cresol, Carlos Copercini; Coopusaúde, Dilva Maria Galina Loch; Agricoop, Mario Farina; Floracoop, Sandro Pommer; além dos vice-presidentes da Unimed, Paulo Martins; Sicredi Nortes RS/SC, Adelino Loch; Unicred, Plínio Costa Jr.; a gerente do Sicoob-Transcredi, Luciana Dornelles; o gerente comercial da Alfa, Eudes Biavatti; o supervisor administrativo da Aurora, Liduino Largo; e o chefe de gabinete do município de Erechim, Roberto Fabiani.

Os 7 princípios do cooperativismo

A aproximação das cooperativas locais em torno do DIS, registrada no lançamento do Projeto, dialoga de forma direta com um dos 7 princípios do cooperativismo: o da intercooperação. Você sabe quais são os outros seis, e o que significa/representa cada um deles?

1) ADESÃO LIVRE E VOLUNTÁRIA: As cooperativas são organizações voluntárias, abertas a todas as pessoas aptas a utilizar os seus serviços e assumir as responsabilidades como membros, sem discriminação de sexo ou gênero, social, racial, política e religiosa.

2) GESTÃO DEMOCRÁTICA: As cooperativas são organizações democráticas, controladas pelos seus membros, que participam ativamente na formulação das suas políticas e na tomada de decisões. Os homens e as mulheres, eleitos como representantes dos demais membros, são responsáveis perante estes. Nas cooperativas de primeiro grau, os membros têm igual direito de voto (um membro, um voto); as cooperativas de grau superior são também organizadas de maneira democrática.

3) PARTICIPAÇÃO ECONÔMICA: Os membros contribuem equitativamente para o capital das suas cooperativas e controlam-no democraticamente. Parte desse capital é, normalmente, propriedade comum da cooperativa. Os membros podem receber, habitualmente, havendo condições econômico financeiras para tanto, uma remuneração sobre o capital integralizado, como condição de sua adesão. Os membros destinam os excedentes a uma ou mais das seguintes finalidades: desenvolvimento da cooperativa, possibilitando a formação de reservas, em parte indivisíveis; retorno aos sócios na proporção de suas transações com as cooperativas e apoio a outras atividades que forem aprovadas pelos associados.

4) AUTONOMIA E INDEPENDÊNCIA: As cooperativas são organizações autônomas, de ajuda mútua, controladas pelos seus membros. Se firmarem acordos com outras organizações, incluindo instituições públicas, ou recorrerem a capital externo, devem fazê-lo em condições que assegurem o controle democrático pelos seus membros e mantenham a autonomia da cooperativa.

5) EDUCAÇÃO, FORMAÇÃO E INFORMAÇÃO: As cooperativas promovem a educação e a formação dos seus membros, dos representantes eleitos e dos trabalhadores, de forma que estes possam contribuir, eficazmente, para o desenvolvimento das suas cooperativas. Informam o público em geral, particularmente os jovens e os líderes de opinião, sobre a natureza e as vantagens da cooperação.

6) INTERCOOPERAÇÃO: As cooperativas servem de forma  mais eficaz aos seus membros e dão mais força ao movimento cooperativo, trabalhando em conjunto, através das estruturas locais, regionais, nacionais e internacionais. 

7) INTERESSE PELA COMUNIDADE: As cooperativas trabalham para o desenvolvimento sustentado das suas comunidades através de políticas aprovadas pelos membros.

Por Salus Loch 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais