Chile cancela etapa do Mundial de Rally em 2020 e Erechim seria uma opção

A primeira edição do Rally do Chile foi sucesso entre o público, pilotos e equipes. Tanto que convenceu o WRC Promoter (do grupo Red Bull), promotor do Mundial de Rally, a permanecer no calendário para 2020. Mas a instabilidade política e econômica levou o governo da região de Biobío (onde está Concepción), em conjunto com a Federação de Automobilismo do país a decidir pelo cancelamento da prova no ano que vem.

No comunicado oficial, os organizadores lembram que o período previsto para a prova (9 a 12 de abril) coincide com o plebiscito para a convocação de nova assembleia constituinte. Com a logística do WRC e das equipes definida por antecedência, não haveria como reposicionar a etapa no calendário. Pior para o Rally da Argentina que, neste ano, antecedeu a prova no país vizinho, diluindo os custos de transporte. O que se repetiria no ano que vem, com a ordem invertida. A ideia é voltar a receber a competição em 2021.

Calendário

O WRC Promoter tem pouco tempo para pensar em um evento substituto, considerando todas as questões envolvidas (planejamento, custos, disponibilidade). Na próxima quarta-feira (4), em Paris, o Conselho Mundial da FIA se reúne para oficializar o calendário – uma alternativa seria deixar a data em aberto, desde que haja candidato (s) a ocupá-la.

Erechim, no Rio Grande do Sul, seria uma opção interessante, considerando que o equipamento já virá para a América do Sul. Em 2015/16, o EAEC, organizador da etapa do Sul-Americano/Brasileiro, chegou a iniciar gestões com a FIA para homologar a prova, com direito à visita de observadores.

Fonte: Race Motor

Comentários estão fechados.