Grupo de amigas do Barão dedica tempo livre ao meio ambiente

Já virou hábito: todas as segundas-feiras após o almoço o grupo de oito amigas do 6º ano do Ensino Fundamental do Instituto Anglicano Barão do Rio Branco (IABRB) dedica o tempo livre ao meio ambiente. Acompanhadas pela mãe ou pai de uma das integrantes do grupo, as estudantes acrescentam luvas ao uniforme para recolher o lixo seco da Praça da Bandeira e arredores.

“A ideia surgiu durante uma aula de Ciências, quando fomos até a Praça e notamos que tinha principalmente bastante cigarro no chão. Também ficamos tristes com as queimadas na Amazônia e pensamos que, mesmo distantes, poderíamos fazer algo para ajudar o meio ambiente”, conta Sarah Knecht. Auxiliar na conservação do Parque Longines Malinowski também está nos planos do grupo, assim como plantar mudas de árvores.

Além de bitucas de cigarro, material que não é biodegradável e contém química nociva, as estudantes também já se depararam com fios de luz, torneiras, vidro e lixo que até não conseguiram recolher, a exemplo de canudos e tampas de garrafa presas ao chão. “Erechim é uma cidade pequena e, se aqui já está assim imagina numa cidade maior? Acho que não custa nada ter uma sacola de plástico na bolsa, por exemplo, e juntar os lixos que encontramos pelo caminho quando nos deparamos com algo. Por mais que não seja nosso, o Planeta é de todos”, complementa Isabelli Bleil.

“Nossos pais não deixariam a gente fazer isso sem ter um responsável então, geralmente é a minha mãe que nos acompanha”, destaca Eduarda Santos. O grupo, formado por Eduarda Pereira dos Santos, Eduarda Tomazoni, Emily Salvi, Giseli Turski, Isabelli Sangalli Bleil, Isadora Prior Chiochetta, Julia Noronha da Silva e Sarah Pegorini Knecht já virou exemplo na escola. “Partiu delas e essa é a essência da ação social! Estamos muito orgulhosos e incentivando as estudantes a não perderem este espírito, pois ajudar o próximo dignifica o ser humano”, finaliza a coordenadora dos anos finais do Ensino Fundamental do Barão, Lenita Ransolin Brugnerotto.

Comentários estão fechados.