Feira das etnias resgata a história de Cruzaltense na comemoração dos 19 anos do município

 

Italiana, polonesa e afro brasileira. Três etnias diferentes se reuniram na tarde de sexta feira, dia 26 de abril, para resgatar as histórias e os costumes dos povos que fundaram o município de Cruzaltense. Realizado pela Secretaria de Educação em parceria com as escolas do município Osório Duque Estrada e Mario Quintana, a décima feira das etnias foi um evento integrado às festividades da semana do município.

A educação e a sua contribuição para o desenvolvimento do município foram também temas da feira. A homenagem feita à professora Santina Longo pelos seus 50 anos dedicados ao magistério e a educação das crianças cruzaltinas marcou o início da tarde.

No seu discurso de abertura, o prefeito Kelly Longo falou sobre a luta dos professores e enfatizou a importância da educação para manter viva as histórias e os costumes dos antepassados: “Nossas raízes moldam o nosso futuro.” O vice- prefeito, Nelson Franklin, ressaltou a importância de reconhecer a nossa própria história: “É nela que se mostra a diversidade cultural que fez nascer o nosso município. É das origens que se mostram os valores.”

O grupo Afro Ara, da cidade de Aratiba, o primeiro a se apresentar, representou a ancestralidade e a luta do povo afrodescendente no Brasil através do Maracatu, do Maculelê e encenou com entusiasmo o famoso canto das três raças que conta a trajetória do povo negro.

A etnia polonesa e a etnia italiana foram respectivamente representadas pelo grupo Auresovia, de Áurea e pelo grupo Avanti, de Erechim. As apresentações marcadas por trajes, cores e danças típicas de cada etnia levaram crianças e os adultos a se encantarem e conhecerem um pouco mais sobre a história da imigração dos dois povos ao Brasil.

Para finalizar o evento com graça, a princesa da Corte das Etnias agradeceu a presença dos grupos e de toda a comunidade nesse dia de celebração e resgate as tradições.

Comentários estão fechados.