Força Gaúcha de Pronta Resposta deve auxiliar nas buscas por quadrilha que assaltou bancos em Paim Filho

O secretário da Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Cezar Schirmer informou nesta manhã, via Twitter, que a recém criada Força Gaúcha de Pronta Resposta deverá prestar auxílio à Brigada Militar e à Polícia Civil da região nas buscas pela quadrilha que na manhã desta sexta-feira, 28 de setembro, assaltou dois bancos em Paim Filho.

De acordo com informações, o grupo, fortemente armado, chegou ao município pouco depois das 10h e invadiu a Unidade de Crédito do Sicredi e a agência do Banrisul. Segundo relatos de testemunhas, vários tiros foram ouvidos no interior dos estabelecimentos. Pouco depois os criminosos montaram um cordão humano com reféns e liberaram uma gestante e outras pessoas que estariam passando mal. Após desferiram alguns tiros para o alto e começaram a deixar os bancos carregando sacolas, possivelmente carregadas com dinheiro.

Na sequência os bandidos embarcaram com reféns em um Siena e um Gol e fugiram. Os reféns foram colocados nas janelas dos veículos, com parte do corpo para fora. Para dificultar a ação da polícia, centenas de miguelitos (pregos retorcidos) foram espalhados pelas estradas.

Durante as buscas, com o apoio de um helicóptero, a Brigada Militar prendeu dois suspeitos que estariam soltando miguelitos na região do balneário Espraiado. Nas buscas os policiais também localizaram os veículos usados na fuga. O Siena foi encontrado em chamas.

A quantia roubada pelos criminosos não foi divulgada. A agência da Cresol na cidade, supostamente, também seria alvo dos bandidos, mas eles não chegaram a roubar o local. Os nomes dos presos também não foram divulgados.

Força Gaúcha de Pronta Resposta

A Força Gaúcha de Pronta Resposta é formada por militares estaduais e servidores da ativa das carreiras da segurança pública ou por inativos e aposentados designados.

A tropa irá apoiar investigações, ações de inteligência, atividades periciais, ocorrências de Defesa Civil, busca e salvamento e reforço ou apoio ao policiamento ostensivo (urbano e rural). Além disso, devem atuar também em cumprimento de mandados de busca e apreensão e de prisão, operações em casas prisionais em razão de motins, auxílio no registro de ocorrências, apoio à segurança em grandes eventos e ações junto ao Ministério Público.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais