Força Gaúcha de Pronta Resposta deve auxiliar nas buscas por quadrilha que assaltou bancos em Paim Filho

O secretário da Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Cezar Schirmer informou nesta manhã, via Twitter, que a recém criada Força Gaúcha de Pronta Resposta deverá prestar auxílio à Brigada Militar e à Polícia Civil da região nas buscas pela quadrilha que na manhã desta sexta-feira, 28 de setembro, assaltou dois bancos em Paim Filho.

De acordo com informações, o grupo, fortemente armado, chegou ao município pouco depois das 10h e invadiu a Unidade de Crédito do Sicredi e a agência do Banrisul. Segundo relatos de testemunhas, vários tiros foram ouvidos no interior dos estabelecimentos. Pouco depois os criminosos montaram um cordão humano com reféns e liberaram uma gestante e outras pessoas que estariam passando mal. Após desferiram alguns tiros para o alto e começaram a deixar os bancos carregando sacolas, possivelmente carregadas com dinheiro.

Na sequência os bandidos embarcaram com reféns em um Siena e um Gol e fugiram. Os reféns foram colocados nas janelas dos veículos, com parte do corpo para fora. Para dificultar a ação da polícia, centenas de miguelitos (pregos retorcidos) foram espalhados pelas estradas.

Durante as buscas, com o apoio de um helicóptero, a Brigada Militar prendeu dois suspeitos que estariam soltando miguelitos na região do balneário Espraiado. Nas buscas os policiais também localizaram os veículos usados na fuga. O Siena foi encontrado em chamas.

A quantia roubada pelos criminosos não foi divulgada. A agência da Cresol na cidade, supostamente, também seria alvo dos bandidos, mas eles não chegaram a roubar o local. Os nomes dos presos também não foram divulgados.

Força Gaúcha de Pronta Resposta

A Força Gaúcha de Pronta Resposta é formada por militares estaduais e servidores da ativa das carreiras da segurança pública ou por inativos e aposentados designados.

A tropa irá apoiar investigações, ações de inteligência, atividades periciais, ocorrências de Defesa Civil, busca e salvamento e reforço ou apoio ao policiamento ostensivo (urbano e rural). Além disso, devem atuar também em cumprimento de mandados de busca e apreensão e de prisão, operações em casas prisionais em razão de motins, auxílio no registro de ocorrências, apoio à segurança em grandes eventos e ações junto ao Ministério Público.

Comentários estão fechados.