Ex-prefeito de Sertão é preso por peculato

O ex-prefeito de Sertão, no norte do Estado, Marcelo D’Agostini, foi preso na tarde de segunda-feira (27), após condenação em segunda instância por peculato. De acordo com a sentença, o ex-prefeito solicitou que uma funcionária pública alterasse o carnê do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) da sogra. O valor teria sido diminuído em R$ 500. A informação foi publicada no início da noite pela Rádio Gaúcha.

D’Agostini também responde a outros processos por fraude em licitações e improbidade administrativa. Segundo denúncia do Ministério Público Estadual (MPRS), D’Agostini, em junho de 2013, fraudou um processo licitatório para perfuração e instalação de três poços artesianos no interior do município, mediante ajuste e combinação. A fraude teria acontecido com auxílio de uma servidora e um empresário. De acordo com o MPRS, os cofres públicos de Sertão teriam sido lesados em R$ 40 mil.

Em outro processo, o ex-prefeito foi condenado a nove anos e sete meses de reclusão e quatro anos de detenção por fraude em licitação na compra de brita para o município. O delegado Adroaldo Schenkel, responsável pela prisão, afirmou à reportagem que D’Agostini acertou com seus advogados a sua apresentação à delegacia. O ex-prefeito foi levado para o presídio de Getúlio Vargas.

O advogado da defesa, Flávio Algaver, afirmou que o ex-prefeito recorrerá ao Superior Tribunal de Justiça. D’Agostini foi eleito prefeito de Sertão pelo PP, em 2012, e se encontra desfiliado do partido, de acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

 

Fonte: Rádio Gaúcha

Comentários estão fechados.