Polícia investiga desaparecimento de mulher em Marcelino Ramos

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

A Polícia Civil investiga o desaparecimento de uma mulher em Marcelino Ramos, no Norte do Rio Grande do Sul. Terezinha Melânia Sachini, de 60 anos, morava no Residencial Terapêutico Morada do Sol e teria sumido no dia 18 de julho enquanto estava na instituição. Segundo a direção, a mulher tem um transtorno psicológico.

Um inquérito foi instaurado, mas ainda não há hipóteses. O delegado Rodrigo Dreyer, responsável pelo caso, diz que não descarta nenhuma possibilidade. O residencial fica no interior do município, a cerca de 18 km do Centro. Conforme a Brigada Militar, quando funcionários do local perceberam o desaparecimento da mulher, buscas foram realizadas na casa e uma ocorrência foi registrada na polícia.

De acordo com a equipe do Residencial Terapêutico Morada do Sol, a mulher tem mania de perseguição, e já teria sumido outra vez durante dois dias, mas foi encontrada em um mato próximo do local na época. Segundo o psiquiatra dela, ela sofre de “delírios variáveis”, a chamada doença F28. O diretor do residencial, Elias Tabaczenski, disse que na semana anterior ao desaparecimento, a mulher estava bem, colaborativa e ajudava. Terezinha vivia há quase 6 anos no local.

“O mais difícil de tudo isso é você não ter alguém que diga ‘eu vi ela, eu vi ela passar em tal lugar’, pra gente poder começar as buscas novamente, porque dentro do contexto possível, de procura, a gente fez tudo que foi possível pra procurar ela, desde que percebemos a falta dela”, afirma Elias.

O trabalho de busca começou no dia 19, um dia depois do desaparecimento, e encerrou na última sexta-feira (24). Agentes da Brigada Militar, bombeiros de Erechim e o Grupo de Operações, Resgate e Salvamento com Cães (Gorsc), de Concórdia (SC), percorreram uma área de mato e o Lago da Usina de Itá, que ficam próximos ao residencial.

Os bombeiros e o Gorsc fizeram buscas superficiais na água, em um raio de cerca de 15 km do lago. Cães farejadores treinados para encontrar pessoas com e sem vida foram usados. Buscas terrestres na cidade e em endereços que a idosa poderia estar também foram realizadas, mas Terezinha não foi encontrada. Os cães farejaram cheiro até a cidade, mas depois não encontraram mais nenhum rastro.

A polícia vai ouvir familiares e funcionários do lar. Quem tiver informações, pode entrar em contato com a Brigada Militar pelos telefones (54) 9 9987-3200 ou (54) 3520-2250.

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais