“Quero e sonho com um Erechim melhor, mas coligação com a situação está descartada”, diz Flávio Tirello

O empresário e dentista, Flávio Tirello, que foi candidato ao cargo de prefeito de Erechim pelo PSB nas eleições de 2016, falou na manhã desta quinta-feira (28), nos microfones da Rádio Cultura sobre sua vida política e familiar, destacando que hoje é pré-candidato ao Palácio Municipal.

Em sua fala, Tirello disse seguir uma vida normal, com trabalho, família e aprendendo ser pai. “Hoje tenho uma rotina corrida, pois além de atender em meu consultório, preciso me desdobrar para dar conta de ser pai de gêmeos. Quanto a minha vida pública, não tenho cargo político, mas sigo acompanhando os anseios da população. Não acredito em muitas candidaturas, mas é importante se organizar desde cedo e não deixar para última hora as decisões partidárias.  Vai ser uma eleição curta e quem quer ser candidato precisa preparar sua candidatura desde agora”.

Disse que queria ver a cidade com mais segurança e desenvolvimento, mas o poder de mudança está com quem tem a caneta na mão. “Estamos vivendo um período difícil, vendo as empresas indo embora de Erechim, sem investimentos em infraestrutura e a falta de segurança se agravando cada dia mais, com um sistema falido e um presídio em ruínas”, destacou Tirello.

Questionado sobre sua preparação para as próxima eleições, falou estar melhor preparado porque sua candidatura em 2016 foi de muito aprendizado, uma verdadeira faculdade política. “Hoje estou com o diploma político na mão, conheço mais as pessoas e tenho novas ideias para uma nova gestão. Pretendo sentar na cadeira do Palácio Municipal e de lá, colocar pessoas técnicas em cada setor para alavancar ainda mais o desenvolvimento da nossa cidade. A prefeitura tem que ser tratada como uma empresa que precisa dar resultados”, assegurou.

Questionado se os 12.190 votos para prefeito eram de eleitores seus ou de pessoas que não queriam votar no Luiz Francisco Schmidt ou Ana Oliveira, foi taxativo: “muitos não queriam o Schmidt e nem Ana, mas a grande maioria acreditava e confiou seu voto em mim. O PSB não pode ser candidato sozinho e estamos abertos a negociações, mas não pretendemos firmar uma aliança com a situação. Temos hoje 20 pré-candidatos a vereadores e novas lideranças que assim como eu, querem e sonham com um Erechim muito melhor, finalizou Tirello.

Por A Redação

 

 

Comentários estão fechados.