Lavouras de verão com boa expectativa de produção

As lavouras de milho na região do Alto Uruguai, com área de semeada de 43 mil hectares, estão com 50% em fase vegetativo e 45% em fase de floração. A cultura necessita de chuvas para se desenvolver bem, de acordo com informativo conjuntural do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Erechim. A expectativa inicial de produtividade é de 155 sacas por hectare. A cultura do milho destinada a silagem, com área de cultivo de 15 mil hectares, está em fase de pendoamento.

O plantio das lavouras de soja se encaminha para a fase final. No momento, 95% da área de 233.340 hectares está semeada. A expectativa inicial é de produtividade de 3900kg/ha.

Já as lavouras de trigo, com área cultivada de 29 mil hectares, com média de 55 sacas por hectare, estão com 95% da área colhida, de acordo com a Emater/RS-Ascar.

Nas lavouras de feijão, com área de 658 hectares, a expectativa de colheita de 1800kg/ha. As culturas de aveia branca e cevada estão colhidas.

Fruticultura

Morango: Na região do Alto Uruguai são cultivados 8,2 hectares com morango. Preço praticados de R$ 10,00 a R$ 20,00/kg.

Uva: Em fase de frutificação com boa qualidade. Na região, foram plantados 560ha. Tempo seco favorece a cultura.

Noz pecã: Há 93 hectares cultivados na região. Os pomares estão em fase de floração com boa expectativa para o próximo ano. Preço de R$ 14,00/kg com casca.

Laranja: Os pomares estão em fase de formação de fruta e ótima expectativa de safra futura. Na região, já foram colhidos 85% dos pomares. Alguns produtores que possuem áreas maiores ainda possuem laranja. A fruta destinada para indústria continua com preço baixo, sendo comercializada R$ 0,22 a R$ 0,26/kg. Para consumo in natura o preço praticado de R$ 0,40 a R$ 0,50/kg.

Bergamota: Em frutificação com boa expectativa para a próxima safra.

Pêssego: A produção está sendo colhida e com boa qualidade. Na região são cultivados 80 hectares da fruta. Preço de R$ 3,00/kg

Apicultura: Na semana passada ocorreu pouca chuva o que favoreceu a ação dos enxames. A colheita está iniciando com produtividades em torno de 18 kg/colmeia. O mel está sendo comercializado entre R$ 7,00 (atacado) e 20,00/kg (varejo), o pólen com embalagem de 130 gramas 15,00 reais; a própolis com embalagem de 100 ml 15,00 reais.

Bovinocultura de corte: Cresceu muito a procura por boi gordo e por bezerros na semana. Mercado está aquecido com forte tendência de aumento do preço. As pastagens estão boas, com alta oferta. O clima favoreceu o crescimento das pastagens perenes e

anuais de verão. Preços: Boi 5,80 R$/kg de peso vivo de acordo com a qualidade, com pagamento em 30 a 45 dias. Terneiros recria a R$ 6,00.

Bovinocultura de leite: Clima ensolarado da semana passada favoreceu a alta produção de massa de forragem. Os rebanho apresenta boas condições sanitárias. Preços pagos ao produtor 1,00 a 1,60 R$/L, dependendo da qualidade e da quantidade de leite produzido.

Piscicultura: Houve aumento na oferta de plâncton em função das altas temperaturas ocorridas na semana passada. Seguem os repovoamenteos dos açudes. Para as carpas das linhagens cabeça-grande, húngara e prateada, os valores médios de comercialização foram de R$ 10,00, enquanto que a carpa capim foi vendida a R$ 13,00, jundiá R$ 18,00, dourado R$ 29,00 pacu R$ 15,00, traíra R$ 13,00. Os valores de comercialziação são do peixe vivo.

Suinocultura – Cotação em alta, com suíno comercializado a 4,10 R$/kg. Os produtores que trabalham com terminação em parceria estão recebendo por suíno terminado de R$ 25,00 R$ 40,00.

 

Comentários estão fechados.