Mãe e filha condenadas a 18 anos de prisão por morte de mulher em Erechim

As rés, Mara Beatriz Ribeiro da Silva, 56 anos, e sua filha, Lisiane Ribeiro da Silva, 25 anos, foram sentenciadas a 18 anos de prisão pela morte de Patrícia Giovana de Camargo Bolis, 20 anos, fato ocorrido no dia 23 de fevereiro de 2016, no Bairro do Linho, em Erechim. A sentença, por homicídio triplamente qualificado, foi proferida na noite de quinta-feira, 26 de outubro, em júri popular que se estendeu por cerca de 14 horas, no Fórum da cidade.

De acordo com os autos, após desentendimentos no local de trabalho, Patrícia teria ido até a casa das duas mulheres, ocorreu uma briga e ela acabou morrendo, de acordo com laudo pericial, por asfixia por esganadura. Mara e Lisiane acabaram presas no mês seguinte.

Lisiane cumprirá a sentença em regime inicialmente fechado e Mara em regime domiciliar, devido a problemas de saúde.

A sessão do júri foi presidida pelo juiz Marcos Agostini. Representou o Ministério Público o promotor Gustavo Burgos de Oliveira e atuaram pela defesa os advogados João Zanin Zanella e Ramiro Kunze.

Chamou atenção da platéia o testemunho de um indivíduo que teria presenciado a briga, mas preferiu não intervir para “não se incomodar”. Para a defesa, sua intervenção “teria salvado uma vida.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais