Professora de Arquitetura e Urbanismo da URI conclui doutorado

       Questionamentos sobre as relações entre o homem e o meio ambiente foram as diretrizes de pesquisa selecionadas pela professora do Curso de Arquitetura e Urbanismo da URI Erechim, Vanessa Tibola da Rocha, para o desenvolvimento de seu doutoramento no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil e Ambiental (PPGEng), da Universidade de Passo Fundo (UPF).

         Por videoconferência, em função do distanciamento social, a tese foi defendida no dia 03 de julho e a banca examinadora foi estruturada pelos professores Pedro Domingues Marques Prietto e Marcio Tascheto da Silva (UPF), Rualdo Menegat (UFRGS) e  Lisiane Ilha Librelotto (UFSC).

         A tese “Educação em mudanças climáticas: um estudo de caso em Passo Fundo”, sob orientação das professoras Luciana Londero Brandli e Rosa Maria Locatelli Kalil, descreve um modelo para o processo de Educação em Mudanças Climáticas (EMC), considerando no contexto de uma escola pública.

         O referencial teórico da pesquisa foi baseado na publicação da UNESCO “Climate change in the classroom: UNESCO course for secondary teachers on climate change education for sustainable development”, publicada em 2013 e considerou os reflexos das emergências climáticas no contexto do município de Passo Fundo.    O trabalho de tese é parte colaborativa para a Agenda 2030, da ONU, com impacto direto sob o ODS 4 (educação de qualidade) e o ODS 13 (ação conta a mudança global do clima).

         Segundo a professora Vanessa, “o tema mudanças climáticas envolve abordagens complexas e é necessário compreender que impactamos sobre o meio em que vivemos, os efeitos negativos (poluição, a produção de resíduos, entre outros) são resultados do processo natural do habitar. No entanto, a educação em mudanças climáticas (EMC) integra abordagem que fazem referência ao modo de habitar, de consumir e preservar os recursos naturais para as próximas gerações”.

         Assim, afirma a professora, “todos precisam contribuir para essa transformação em favor de um desenvolvimento mais sustentável. No entanto, existem agentes de transformação local que são fundamentais para a potencialização do saber e da EMC, sendo eles professores e alunos do ensino fundamental. A pesquisa de doutorado, conforme resultados, contribui para a alteração de comportamento (conforme o pressuposto de investigação da tese), possibilita a inserção do tema ao currículo do ensino fundamental II e valoriza a comunidade escolar’.

         A escola integrante da pesquisa passou, ao longo do processo de EMC, a incentivar práticas de sustentabilidade dentre as quais é possível destacar: a execução de uma horta escolar; o desenvolvimento de hábitos sustentáveis (redução do tempo no banho); separação de resíduos e melhoria no sistema de captação da água da chuvas.

         A professora afirma que a pesquisa semeou sementes para um futuro melhor e colaborativo. Segundo as previsões do IPCC ( Intergovernmental Panel on Climate Change), os eventos extremos serão, ao longo deste século, mais intensos e frequentes, por isso, as pessoas precisam se conscientizar e fazer sua parte no processo de mitigação e adaptação às mudanças climáticas.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais