Categoria Sub-07 da escolinha do Atlântico tem trabalho diferenciado

Objetivo, explica professor, não é cobrar, mas sim incentivar o desenvolvimento do futuro atleta

“Brincadeira de criança, como é bom”. Já dizia o refrão da musica e claro que quando criança, brincar é uma atividade mais que saudável, serve também para integração.

Neste sentido, a Escolinha de Futsal do Atlântico, busca assegurar o primeiro contato das crianças, com o que poderá surgir como uma profissão na vida dos garotos. Crianças de até sete anos e que fazem parte da Escolinha, tem uma série de atividades diferenciadas, explica o professor Evandro Paulo da Silva.

atlaub3

Segundo ele, neste primeiro momento, o objetivo não é cobrar gesto técnico ou tático do menino. “O trabalho é voltado mais para o lúdico, para a brincadeira. Na Escolinha eles vem duas vezes por semana e através destas atividades, onde não há cobrança, procuramos ir colocando aos poucos algo sobre passe, condução, chute, orem, nunca esquecendo que são crianças e precisam evoluir de maneira gradativa”, enfatiza.

atlaub2

Por isso, entre as atividades, estão situações como uso da bola de tênis, incentivando a criança a ter coordenação motora. Além disso, uso de diversas ferramentas buscam demonstrar ao aluno, o que ele poderá encontrar nos anos seguintes, ao evoluir de idade e consequentemente de aprendizado dentro da Escolinha.

Comentários estão fechados.