Rádio Cultura reúne lideranças e promove debate sobre os 100 anos de Erechim

Diversas lideranças que fazem parte da história de Erechim estiveram reunidas no programa Estúdio Boa Vista, da Rádio Cultura, na manhã desta sexta-feira, 27 de abril, para debater o centenário de Erechim. Conquistas, acertos, erros nos último 10 anos e no que precisamos avançar, foram os temas discutidos.

No primeiro bloco o prefeito, Luiz Francisco Schmidt, o reitor da URI Erechim, Luiz Mário Silveira Spinelli, o diretor da URI Erechim e presidente do Credenor, Paulo José Sponchiado, o presidente da Cotrel, Luiz Gonçalves Paraboni Filho, e o ex-prefeito, Paulo Polis.

O debate girou em torno das conquistas alcançadas nos últimos 10 anos. Para os convidados, existe muito a se comemorar, como o curso de medicina, o de veterinária e outros, a vinda da Universidade Federal, do Instituto Federal, da Uergs, a transposição do Rio Cravo, as tratativas para que a Cotrel não fechasse as portas, o que acabou por trazer a Aurora e a Alfa para Erechim. E também das dificuldades encontradas para avançar, como a burocracia, a falta de ligação asfáltica em diversos municípios da região, as dificuldades financeiras da Fundação Hospitalar Santa Terezinha, o presídio instalado no centro de Erechim, a necessidade de um plano para tratamento de esgoto

Participaram do segundo bloco a presidente da CDL, Arlei Lucia Balestrin Cavaletti, o presidente da Accie, Fábio Vendruscolo, o professor, Júlio Brondani, o secretário de Desenvolvimento, Altemir José Barp, o presidente da Agência de Desenvolvimento do Alto Uruguai, Eduardo Predebon, o presidente do Sindilojas, José Gelson Miola, e o representante da Unindústria, Rafael Weinmann Vieira. O foco desta vez foram os principais desafios para continuar em crescimento. Entre as sugestões, a criação de um pólo tecnológico, a união de esforços pelo município e pela região, a necessidade de termos representantes do Alto Uruguai na Câmara Legislativa, motivar e envolver mais mulheres para protagonismos políticos e de lideranças, definir ações para serem seguidas por todas as entidades e não lutar de forma desmembrada por objetivos diferentes e qualificar mão de obra para as novas tecnologias.

 

Por Alan Dias

Comentários estão fechados.