Para Dom José, na gruta de Belém se vê o Filho Deus numa família

A missa das  8h no Santuário de Fátima, neste dia de Natal, foi presidida por Dom José e concelebrada pelo Pe. Valter Girelli, com a presença de pessoas que habitualmente participam da liturgia daquele horário e muitas que se encontravam em visita a familiares. Na homilia, o Bispo lembrou as palavras de consolo do profeta Isaías ao povo que vivia realidade desafiadora, assegurando-lhes que Deus realizaria sua promessa de enviar o Salvador. No Natal, contempla-se a realização desta promessa no seio de uma pequena, pobre humilde família.

Neste ano, o presépio não está perto do altar, mas na entrada à esquerda e com imagens tradicionais, não mais de manequins adaptados.

Íntegra da homilia de Dom José

Saúdo o Pe. Valter, reitor do Santuário Diocesano dedicado a Nossa Senhora de Fátima, a mãe de Jesus, os irmãos e irmãs que vieram celebrar espiritualmente a Festa do Santo Natal, neste local revitalizado. Saúdo com estima os diocesanos, os visitantes de outras dioceses e aqueles que nos acompanham através das rádios Virtual FM, Aratiba AM e outros meios de comunicação. Com carinho, saúdo os enfermos e seus familiares, aqueles que estão trabalhando nos hospitais e nas casas de repouso e em outras entidades que cuidam da segurança e do bem-estar da população. Minha saudação neste dia de paz e de alegria também se dirige aos encarcerados e seus familiares.

O texto do livro do profeta Isaías (62,11-12) nos fala da dura realidade do povo após retornar do exílio na Babilônia. A situação é muito difícil, não se vê a realização das promessas do Senhor, tão proclamadas pelos profetas. Mas Deus não esquece nem do povo, nem das promessas, e mesmo diante de uma situação tão dolorosa e de desânimo que atinge o povo, ele confirma que as promessas serão realizadas. O Salvador vai chegar como um rei vencedor, e o povo será chamado Povo santo, os Resgatados do Senhor.

Penso que todos vocês gostariam de escutar uma palavra que os ajude a viver este dia de um modo diferente dos outros dias do ano. E como os pastores de Belém, vocês vieram ver a “Palavra”, e adorar o “Verbo” feito carne. Ao chegarem à gruta de Belém, os pastores viram uma família. Uma pequena, pobre e humilde família. Mas ali estava o Salvador, o Cristo Senhor, do qual falava o anjo.

Vocês vieram para encontrar a comunidade cristã, onde é visível o amor de uma família, para celebrarem juntos a sua fé no Senhor Jesus, nascido na gruta de Belém, adorado pelos pastores, quando ainda estava na manjedoura. Os pastores, que eram desprezados e marginalizados, porque considerados pecadores, tornam-se os anunciadores de “boas notícias”. Diante da Palavra de Deus, podemos ter dois comportamentos. O primeiro é aquele dos habitantes de Belém, que ficaram maravilhados diante dos acontecimentos, mas não deram uma resposta de fé. O segundo é aquele de Maria, que “guardava todas as coisas que o Senhor estava fazendo em sua vida, meditando-as no seu coração”.

A Festa de hoje nos convida a olharmos para dentro de nós mesmos, para podermos nos libertar das correntes que nos impedem de vivermos a liberdade de amar e de encontrar o verdadeiro sentido que leve à realização da vida eterna, colocada por Deus no nosso coração.

A boa notícia que hoje a Igreja leva à comunidade, nesta eucaristia, é que ela é procurada pelo Senhor. Ele não permanece indiferente às angústias de vocês, aos seus sofrimentos e aos dos seus familiares e amigos. Podemos nos perguntar: Como se torna possível experimentar concretamente este amor e como dar um novo sentido à vida? Penso que a resposta mais simples é a de nos colocarmos na escuta da Palavra de Deus, como fez Maria de Nazaré, não a rejeitando, mas conservando-a e meditando-a. E da escuta da Palavra vem a fé e a fé conduz à conversão e ao nascimento em nós de uma nova criatura, aquela que faz as obras de vida eterna, as obras de caridade e do amor gratuito ao seu semelhante.

Queridos irmãos e irmãs, que possamos viver este dia de louvor, alegria e esperança como os pastores que foram a Belém. Glorificando e louvando a Deus por tudo o que vimos e ouvimos, com os olhos da fé e do coração, da Palavra de Deus, dos nossos pais e avós e da Igreja comunidade de fé.

Um Feliz e abençoado Natal a todos.

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais