Para Dom José, na gruta de Belém se vê o Filho Deus numa família

A missa das  8h no Santuário de Fátima, neste dia de Natal, foi presidida por Dom José e concelebrada pelo Pe. Valter Girelli, com a presença de pessoas que habitualmente participam da liturgia daquele horário e muitas que se encontravam em visita a familiares. Na homilia, o Bispo lembrou as palavras de consolo do profeta Isaías ao povo que vivia realidade desafiadora, assegurando-lhes que Deus realizaria sua promessa de enviar o Salvador. No Natal, contempla-se a realização desta promessa no seio de uma pequena, pobre humilde família.

Neste ano, o presépio não está perto do altar, mas na entrada à esquerda e com imagens tradicionais, não mais de manequins adaptados.

Íntegra da homilia de Dom José

Saúdo o Pe. Valter, reitor do Santuário Diocesano dedicado a Nossa Senhora de Fátima, a mãe de Jesus, os irmãos e irmãs que vieram celebrar espiritualmente a Festa do Santo Natal, neste local revitalizado. Saúdo com estima os diocesanos, os visitantes de outras dioceses e aqueles que nos acompanham através das rádios Virtual FM, Aratiba AM e outros meios de comunicação. Com carinho, saúdo os enfermos e seus familiares, aqueles que estão trabalhando nos hospitais e nas casas de repouso e em outras entidades que cuidam da segurança e do bem-estar da população. Minha saudação neste dia de paz e de alegria também se dirige aos encarcerados e seus familiares.

O texto do livro do profeta Isaías (62,11-12) nos fala da dura realidade do povo após retornar do exílio na Babilônia. A situação é muito difícil, não se vê a realização das promessas do Senhor, tão proclamadas pelos profetas. Mas Deus não esquece nem do povo, nem das promessas, e mesmo diante de uma situação tão dolorosa e de desânimo que atinge o povo, ele confirma que as promessas serão realizadas. O Salvador vai chegar como um rei vencedor, e o povo será chamado Povo santo, os Resgatados do Senhor.

Penso que todos vocês gostariam de escutar uma palavra que os ajude a viver este dia de um modo diferente dos outros dias do ano. E como os pastores de Belém, vocês vieram ver a “Palavra”, e adorar o “Verbo” feito carne. Ao chegarem à gruta de Belém, os pastores viram uma família. Uma pequena, pobre e humilde família. Mas ali estava o Salvador, o Cristo Senhor, do qual falava o anjo.

Vocês vieram para encontrar a comunidade cristã, onde é visível o amor de uma família, para celebrarem juntos a sua fé no Senhor Jesus, nascido na gruta de Belém, adorado pelos pastores, quando ainda estava na manjedoura. Os pastores, que eram desprezados e marginalizados, porque considerados pecadores, tornam-se os anunciadores de “boas notícias”. Diante da Palavra de Deus, podemos ter dois comportamentos. O primeiro é aquele dos habitantes de Belém, que ficaram maravilhados diante dos acontecimentos, mas não deram uma resposta de fé. O segundo é aquele de Maria, que “guardava todas as coisas que o Senhor estava fazendo em sua vida, meditando-as no seu coração”.

A Festa de hoje nos convida a olharmos para dentro de nós mesmos, para podermos nos libertar das correntes que nos impedem de vivermos a liberdade de amar e de encontrar o verdadeiro sentido que leve à realização da vida eterna, colocada por Deus no nosso coração.

A boa notícia que hoje a Igreja leva à comunidade, nesta eucaristia, é que ela é procurada pelo Senhor. Ele não permanece indiferente às angústias de vocês, aos seus sofrimentos e aos dos seus familiares e amigos. Podemos nos perguntar: Como se torna possível experimentar concretamente este amor e como dar um novo sentido à vida? Penso que a resposta mais simples é a de nos colocarmos na escuta da Palavra de Deus, como fez Maria de Nazaré, não a rejeitando, mas conservando-a e meditando-a. E da escuta da Palavra vem a fé e a fé conduz à conversão e ao nascimento em nós de uma nova criatura, aquela que faz as obras de vida eterna, as obras de caridade e do amor gratuito ao seu semelhante.

Queridos irmãos e irmãs, que possamos viver este dia de louvor, alegria e esperança como os pastores que foram a Belém. Glorificando e louvando a Deus por tudo o que vimos e ouvimos, com os olhos da fé e do coração, da Palavra de Deus, dos nossos pais e avós e da Igreja comunidade de fé.

Um Feliz e abençoado Natal a todos.

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo.

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.