Município abre o Outubro Rosa com grande programação e participação

Tendo como palco o auditório do prédio 6 na Universidade Regional Integrada, o Gabinete da Primeira Dama e as Pastas da Saúde e Assistência Social do município promoveram, na manhã desta quarta-feira, 26, com as dependências lotadas, o Seminário Interdisciplinar de Abertura do Outubro Rosa 2018, que tem como tema “Unindo ações para fortalecer a linha de cuidado integral da Mulher”.

Como foco do evento, a abordagem de temas como a prevenção do câncer de mama, prevenção a transmissão vertical da sífilis e a sífilis e a violência contra a mulher e o feminicídio.

Entre os principais objetivos está a informação, sensibilização e incentivar as entidades para que desenvolvam ações nestes temas, com seu público de abrangência.

Em suas manifestações nos atos de abertura, o secretário de Saúde Jackson Arpini destacou a oportunidade do evento para que se possa debater temas de extrema importância para as mulheres. “Um momento de falar sobre o Outubro Rosa e o feminicídio, de conscientizar sobre a doença e os seus métodos de controle, evitando, desta forma, o aparecimento de novos casos de uma doença que mais acomete as mulheres”.

Arpini lamentou o número de 57 mil casos somente neste ano, daí a importância de se debater o assunto com o máximo de participação e atenção sobre os seus principais sintomas. “Nos últimos anos 50 mil mulheres morreram somente por serem mulheres. O feminicídio é um tema que está em evidência, pois apresenta dados inaceitáveis”.

O presidente do Legislativo, Rafael Ayub pontuou que este é um momento de alertar a comunidade para esta situação, principalmente quando se fala em feminicípio. “Agora é hora de reforçarmos sobre o outubro rosa, e é com muita alegria que vejo o tema ser trabalhado através de várias lideranças locais. Temos que alertar sobre a volta de doenças como a sífilis que já não haviam mais casos. Importante que falemos sobre estes assuntos em nossa casa e locais de trabalhos como forma de disseminar os alertas que são necessários”.

Finalizando os pronunciamentos, o prefeito Luiz Francisco Schmidt lamentou os casos de feminicídio no Brasil e no mundo, principalmente como violência contra a mulher. “Quando abordamos temas como relação às mulheres devemos lembrar a sua importância e papel na vida de um homem, pois está, senão ao seu lado, à sua frente como guerreira. Diferentes dos homens, as mulheres enfrentam vários problemas no dia e na manhã seguinte estão de cabeça erguida para continuar a luta. Mulheres sabem trabalhar as adversidades que a vida lhes apresenta. Choram, sofrem, mas se levantam mais fortes”.

Schmidt também enalteceu as mulheres que sofrenam as maiores dificuldades num passado que era dominado por homens, mas que lutaram, deram a sua contribuição e auxiliaram na construção de nossa sociedade.

No andamento dos trabalhos que se estenderam até as 11h30, a participação de palestrantes como Alexander Manfredini (médico ginecologista e mastologista), Vanderlei Madalozzo (médico infectologista), Diana Zanatta (Delegacia da Mulher), Viviane Giacomazzi (advogada), Valéria Barancelli (psicóloga do CRAS) e Maria Carmencita Fernandes Silva (presidente do Conselho Municipal dos Diretos das Mulheres)

No dia 8 de outubro, seguindo as programações do mês, acontece a roda de conversa sobre gênero no CREAS, às 14h, numa promoção da Secretaria Municipal de Assistência Social, CREAS e CRAS. Demais atividades irão acontecer no decorrer do mês.

 

Comentários estão fechados.