Vão embora!, afinal, mudar faz bem…

O ex-prefeito Eloi João Zanella (PP), numa clara defesa ao seu ‘pupilo’, prefeito Luiz Francisco Schmidt (PSDB), sugere que os incomodados com os rumos de Erechim se mudem. Vão embora. Zarpem da Capital da Amizade, e deixem aqui aqueles que querem trabalhar – possivelmente, os homens e mulheres ‘de bem’.
Generoso, Zazá até indica alguns destinos possíveis, como Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso, o Oeste de Santa Catarina ou o Sudeste do Paraná – caminhos seguidos por desbravadores que em tempos idos deixaram o chão bota-amarela a fim de desbravar outros pagos (a maioria, aliás, se deu bem com a mudança).
A declaração do tetra-prefeito foi dada ao colega José Adelar Ody, durante entrevista no Programa Painel do canal 26. Como um rastilho de pólvora, o assunto se espraiou nas redes sociais e parece ter pego muita gente de surpresa.
Não deveria.
Eloi João Zanella, ao manifestar-se desta forma, apenas reproduziu seu jeito de pensar e ver o mundo – representando, aliás, fatia expressiva do eleitorado local, que lhe concedeu sucessivos mandatos.
Zanella foi Zanella. Simples, assim.
Muito mais contraditório, no entanto, o ex-prefeito foi ao apoiar seu (ex) adversário político Luiz Schmidt, em 2016, com o fim único de afastar a ‘esquerda’ (esses baderneiros comunistas!) do poder.
Na ocasião, Eloi João fechou os olhos para tudo o que havia dito de Schmidt – outrora diabo, hoje santo.
Quando manda os descontentes embora, Zanella ratifica sua crença de que ‘mudar faz bem’ (mote da campanha do tucano Schmidt).
Nada mais lógico. Nada mais justo. Nada mais Zazá – concordemos, ou não.
Em tempo: Durante a entrevista, o tetra prefeito também mostrou conhecer muito bem Maquiavel, para quem as maldades devem ser feitas logo no início e todas de uma vez. O povo tem memória curta, ensina o experimentado conselheiro real.
A seguir, a coluna reproduz o que disse o ex-prefeito ao jornalista José Ody:
“Tem que dar o valor da crítica pela pessoa que faz”;
“Agora nos 100 anos de Erechim uma coisa que me revoltou intimamente foram as críticas pela comemoração do aniversário. Reclamaram que não se fez festa, porque não trouxe isso, não trouxe aquilo. Porque Erechim é uma porcaria… Erechim está andando para trás… Vão embora! Vão embora como aqueles que foram para Lucas do Rio Verde, para o Oeste catarinense, para o Sudeste do Paraná e deixa aqui quem quer trabalhar!”;
“Tenho conversado muito com o prefeito Schmidt, e disse a ele: faça tudo o que tem que fazer de antipático no 1º ano e deixa a perfumaria para o final, por que infelizmente o povo tem memória curta e guarda aquilo que é feito no último momento”

 

Por Salus Loch

Comentários estão fechados.