Apenas dois jogos separam o Ypiranga da Primeira Divisão do Futebol Gaúcho

A Divisão de Acesso não é a melhor das competições para se disputar, principalmente quando este clube está entre os 60 principais do futebol brasileiro. Por outro lado, ela nos traz alguns sentimentos únicos. Quem sabe seja esta a razão para o torcedor Canarinho gostar tanto de ver o time subir da Divisão de Acesso para a Primeira Divisão do futebol gaúcho. Na última quarta-feira, dia 23 de maio, O Ypiranga entrou em campo pressionado pelo resultado adverso e inesperado do primeiro confronto em Lajeado. A missão era difícil, mas não impossível. Ao final do primeiro tempo, o empate em 1 a 1 era um convite para que o torcedor abandonasse o estádio e fosse para casa se aquecer, afinal, os termômetros marcavam temperaturas abaixo de dois dígitos.
O torcedor, mesmo sabendo das dificuldades, não arredou o pé do estádio Colosso da Lagoa e permaneceu ali: apoiando e acreditando. O treinador Márcio Nunes mandou a campo William Ribeiro, jogador decisivo no Acesso em 2014, mas que estava retornando de uma lesão que o havia afastado por alguns meses dos gramados. Ribeiro foi um dos responsáveis pela pressão exercida contra o Lajeadense, e que resultou nos gols de Claudinho e Jean Silva. Para aqueles que acreditam nos deuses da bola, a cobrança de falta na trave do time de Lajeado, foi um prenúncio de que algo bom estava por vir.
Um passo importante foi dado para buscar o acesso, mas ainda falta o jogo semifinal para carimbarmos nosso passaporte para a elite do futebol gaúcho. O provável adversário será o Aimoré, time forte e de bom nível técnico. Acredito que podemos tratar esta partida como uma final antecipada da Divisão de Acesso. A decisão deverá ser no estádio Cristo Rei, em São Leopoldo. Jogar semifinal em São Leopoldo contra o Índio Capilé não me traz boas recordações daquele ano de 2013, quando fomos eliminados em um gramado sem as mínimas condições de jogo. É bem verdade que o cenário é outro, os jogadores são outros, mas nunca mais esqueci daquela nossa desclassificação.

Personagens da Classificação
É difícil elencar os personagens da classificação do Ypiranga, mas acredito que em uma lista de destaques não pode faltar o zagueiro Claudinho, responsável por dois gols. O meia Rafinha, que teve uma grande atuação, principalmente no primeiro tempo. Jean Silva, que apesar dos gols perdidos na primeira etapa, marcou um na goleada e deu um calor danado pra cima da defesa do Lajeadense. E não poderia deixar de fora o treinador Márcio Nunes. O comandante acertou em suas escolhas e teve a capacidade de remobilizar o grupo no intervalo para marcar os três e conquistar a classificação.

Série C
Neste sábado, 26 de maio, às 17h, o Ypiranga enfrenta o líder do Grupo B, na Série C do brasileiro, o Cuiabá, na Arena Pantanal, em Cuiabá. Jogo difícil, mas importante para as pretensões do Canarinho, que é a manutenção na Série C. Com a Divisão de Acesso em sua fase final, é difícil não pensar nos dois jogos, mas tão importante quanto vencer, é não perder. Neste momento, cada ponto somado é importante para que o Ypiranga consiga ficar longe da zona de rebaixamento.

 

Por Fabio Lazzarotto

Comentários estão fechados.