Emater incentiva erva-mate orgânica e turismo para jovens rurais

Jovens agricultores da região Alto Uruguai estão sendo capacitados através do Curso de Empreendedorismo Rural, seis módulos, administrado pelo Centro de Treinamentos da Emater/RS-Ascar de Erechim. Participam 30 jovens, que na terça-feira (24/09), em Áurea, visitaram a Ervateira Tchê/Tio Thomas, dos jovens empreendedores da família Prichoa. Na visita, conferiram o fluxo operacional da agroindústria, bem como os processos de Certificação Orgânica da erva-mate, numa parceria da Rede EcoVida, Centro de Apoio e Promoção da Agroecologia (Capa), Emater/RS-Ascar e Associação dos Produtores de Erva-Mate do Alto Uruguai Gaúcho (Aspemate).

Prestigiaram a visita de campo, representando a Emater/RS-Ascar, a assistente técnica estadual em Juventude Rural, Clarice Vaz Emmel Bock, o supervisor regional e engenheiro agrônomo Valdir Pedro Zonin, a assitente técnia regional social, Nadia Farina Fabiane da Rosa, e a instrutora do Cetre, Karen Marchetto, além de integrantes dos escritórios municipais de Áurea, Carlos Gomes, Viadutos, Getúlio Vargas, Ipiranga do Sul e Erval Grande.

No empreendimento agroindustrial que já processa mais de duas mil toneladas de erva-mate por ano. A matéria prima certificada é oriunda dos agricultores da Aspemate/Viadutos. “Esta é uma tendência dos consumidores da atualidade, na busca de alimentos mais sustentáveis, livres de agroquímicos”, avalia Zonin, ao destacr a viabilidade do processo orgânico da erva-mate, já que com um bom manejo, envolvendo adubações verdes, orgânicas e fosfatos, é possível obter boas produtividades.

Durante a visita, os jovens também puderam presenciar o processo de Certificação de Qualidade, realizado pela Gerência de Classificação e Certificação da Emater/RS-Ascar, do qual a empresa também está credenciada.

Para os jovens participantes do curso, o principal ponto da visita foi ver na prática três jovens empreendedores (os irmãos Prichoa), bem sucedidos neste ramo, “um exemplo de vocação, ousadia, dedicação e persistência”, avaliaram.

Completando a jornada, os jovens degustaram um delicioso cardápio polonês na Cantina do Euclécio e Zenir Teixeira e, à tarde, conheceram o projeto “Resgatando a História”, na propriedade de Otávio e Maria Trzczinski, que integra a Rota Polonesa de Turismo Rural, que oferece passeios de “trenzinho” e provaram os tradicionais aperitivos: “barquete de kalenchoe”, “brinde nasdrowie” e a linguiça na taquara “ognisko”.

 

Comentários estão fechados.