Atlântico é bicampeão do Brasil

Galo bate a ACBF no maior clássico do futsal brasileiro e conquista a Taça Brasil pela segunda vez em sua história

“Feliz demais”. O que Ian falou ao final do jogo, resume o sentimento de uma nação chamada “rubro-verde”, que neste domingo, 25, pode soltar o grito de “é campeão” pela segunda vez na história da Taça Brasil de Clubes de Futsal. O Atlântico tornou-se bi-campeão do torneio ao vencer a ACBF por 2 a 1.

Justamente um dos maiores clássicos do futsal brasileiro decidiu a Taça Brasil deste ano. Dois gaúchos que estão entre os times mais respeitados do esporte no País e que pela primeira vez entraram em quadra para decidir uma competição nacional.

“A gente merecia muito, trabalhamos para isso, queríamos muito estar nesta final e num grande jogo conseguimos o nosso objetivo que era ser campeão”, destacou o ala Ian, autor do segundo gol, o que seria da vitória do time erechinense.

O goleiro Jackson veste a camisa do Galo pela primeira temporada. Fez sua estréia em finais e vibrou com o título. “É um orgulho poder já na primeira final levantar a taça. Todos estão de parabéns, nós jogadores, a comissão técnica, a diretoria, esta torcida maravilhosa que fez uma grande festa e foi muito importante para esta conquista”, acrescentou.

Festa do torcedor erechinense que “invadiu” a quadra para celebrar a conquista. Jogo que foi marcado também por homenagens ao técnico Milton Luiz Ziller Junior, o Miltinho, que comandava o Marau Futsal e que faleceu esta semana, além de Douglas Nunes, jogador do Corinthians, que faleceu durante a Taça Brasil.

O jogo

Era certo que não seria diferente. Atlântico e ACBF formam um clássico sempre de muita entrega e disputa, não importa a fase da competição, não importa o quanto um jogo pode ou não representar na temporada.

E foi assim, de maneira muito equilibrada que o resultado foi se definindo. A ACBF largou na frente, abriu o placar aos 14min04 da primeira etapa em uma jogada individual do fixo Lé. Ele conduziu a jogada pelo meio e na conclusão tirou qualquer chance de Jackson defender: 1 a 0 ACBF.

O Atlântico não se abateu. Manteve-se firme na marcação e criando boas oportunidades. Até que aos 4min26 da etapa final, após jogada de ataque, Caio Jr recebeu e definiu a jogada: 1 a 1.

Já aos 13min50, o goleiro Gian fez falta em Cleitão. Acabou expulso. Com um jogador a menos em quadra, a ACBF não resistiu a forte pressão erechinense. Pouco depois da expulsão, o Galo chegou com troca de passes no ataque e a bola foi para a área, onde estava Ian que desviou e marcou: 2 a 1 Atlântico.

O jogador se emocionou bastante. “Passa um filme na nossa cabeça, ter jogado a Taça Brasil aqui no ano passado por outra equipe, defender o Galo este ano e conquistar o título, é só felicidade”, completou.

Embora fosse para a jogada de goleiro linha na reta final da partida, a ACBF encontrou um paredão pela frente. Quando passava pela marcação, parava no goleiro Jackson. Fim de jogo e título para o Galo.

Destaques individuais

O pivô Barbosinha tem uma história bem legal com o torcedor do Atlântico. Ele começou sua carreira na base do Clube. Voltou este ano, já como profissional e a vestir a camisa do Galo. Na Taça Brasil, ele se transformou no artilheiro e também foi um dos premiados da tarde.

A Portuguesa, do RJ, ficou com o troféu Fair Play.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais