Pacto por Aratiba incentiva agricultura, comércio, indústria e prestação de serviços

O governo pretende investir R$ 2 milhões no primeiro ano de implantação, mas a meta é aumentar  gradativamente o repasse de recursos podendo alcançar 10% do orçamento, que em 2019 corresponde a mais de R$ 4 milhões.  O incentivo será repassado mediante repasse aos agricultores, especialmente familiares, com base no valor comercializado via Talão de Produtor, tendo por base o ano anterior.  O Pacto prevê também que o valor dos serviços prestados diretamente pela prefeitura aos produtores será deduzido do valor a ser pago com base no valor comercializado. O valor será pago mediante comprovação, por meio de notas fiscais, de compras feitas na indústria, comércio e prestadores de serviço locais, sendo que o valor máximo a ser repassado é de R$ 10 mil por Talão de Produtor. As projeções foram feitas com base no valor oficial da produção primária de 2017, que foi de mais de R$ 174 milhões.

O Pacto é uma resposta do Governo Municipal à queda de arrecadação do município,  que nos últimos dez anos perdeu mais de R$ 60 milhões.  Neste período, enquanto a economia do estado cresceu 108,09%, a de Aratiba cresceu 39,29%. Em 2010 retorno de ICMS para Aratiba foi de R$ 31,5 milhões. A partir daí, o repasse foi caindo gradativamente até chegar a R$ 20,2 milhões em 2016. A partir de 2017 o retorno voltou a subir gradativamente, chegando a R$ 21,3 milhões este ano, porém o município acumula uma perda de 16 pontos no ranking de distribuição do ICMS.  O governo começou a discutir o tema com a comunidade e a conclusão é de que o problema se deve à falta de incentivo à agricultura. “Aratiba perdeu muitos recursos e não tem outra alternativa do que voltar a fortalecer a agricultura, que é a base produtiva”, ressaltou o prefeito Guilherme Granzotto na solenidade de lançamento do Pacto. “Vamos criar um ciclo virtuoso: o município investe na produção, os agricultores  investem nas empresas locais  e isso faz com que os recursos permaneçam no município e a economia volte a crescer.”

O próximo passo é enviar o Projeto do Pacto para a Câmara de Vereadores. Se for aprovado, o início do repasse dos recursos está previsto para julho deste ano. O governo também pretende implantar um sistema informatizado para registrar o movimento de venda de produtos e compra nas empresas locais de cada produtor. O sistema gerará extratos automáticos que embasem o repasse dos recursos de incentivo, evitando fraudes.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais