Passados 14 meses da administração Schmidt e Lando sem um legado

Em regra, cada governo busca, ao longo da gestão, deixar uma marca. Um legado. Passados 14 meses da administração Schmidt e Lando, a marca é não ter marca.

A situação traz desagrados ao cidadão comum que, esperançoso pela mudança vendida/anunciada, segue aguardando resultados e ações concretas capazes de, pelo menos, tapar alguns buracos nas ruas.

O governo municipal peca pela falta de planejamento e visão. Peca pela prometida ‘revolução’ na saúde, que ainda não veio. Peca por não apontar um caminho. Peca por enrolar-se nos processos administrativos que não andam – ao menos, não para frente.

O lugar comum da estagnação na qual Erechim se encontra preocupa e não aponta, no ano do centenário, um futuro dos mais brilhantes.

Caso continue neste ritmo, o governo Schmidt – parte II – passará pela história apagado. Se assim for, há quem diga que já sairá no lucro.

Enquanto isso, a cidade fica – esta sim – marcada pelo prejuízo do tempo perdido.

Eis, uma marca. Ao menos.

Por Salus Loch

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais