Estudantes do São José têm poemas publicados no Sarau Brasil 2017

Textos foram selecionados a partir de Concurso Nacional de novos poetas

69

Amigos-irmãos, em sala de aula e também no gosto pela poesia. Assim pode-se definir a parceria firmada entre os jovens Bruno Duarte, 16, e Franco Guglielmoni, 18, estudantes do Ensino Médio do Colégio Franciscano São José de Erechim que foram selecionados para compor o livro Antologia Poética, Prêmio Sarau Brasil 2017.

A obra, já publicada pela editora Vivara e disponível na biblioteca do Colégio, tem alcance nacional e visa, conforme os propositores do prêmio, estimular a poesia contemporânea brasileira – com textos selecionados entre escritores de diversas regiões do país.

O reconhecimento, fruto do talento de ambos, reforça o compromisso do Colégio Franciscano São José em formar cidadãos preparados para a vida – estimulando os diversos olhares possíveis.

No caso de Bruno, por exemplo, este olhar alcança o prazer de fazer ‘arte pela arte’, traço comum aos parnasianos. Já na experiência de Franco, nascido na Argentina e que mora no Brasil desde bebê, o gosto pela escrita permite que o jovem canalize suas energias, escrevendo o que sente – elemento que o conduz, de igual modo, para a profissão que escolheu seguir, o cinema.

Outra característica comum a ambos reside na liberdade e no estímulo oferecido pelo Colégio no desenvolvimento dos respectivos potenciais produtivos. ‘Nossos professores são amigos, e se preocupam com a gente. Isso incentiva e faz com que cada um de nós possa ir além’, observa Bruno – que projeta ingressar na ONU para promover projetos que estimulem melhores condições de vida aos menos favorecidos.

A seguir as obras que colocaram os jovens entre os melhores poetas contemporâneos do Brasil, em 2017:

Máquina de Overdose, por Franco Guglielmoni

Eu posso ver luzes na escuridão…

Não é o fim do dia.

Não há nenhuma saída fácil!

Apenas… Escute sua Alma…

… Emergindo da Escuridão,

Tocando a Luz das Almas…

Como um Espectro durante a festa,

Nas luzes noturnas.

É uma nova fronteira.

Olhe para as flores,

O Mar Prateado!

Você está na LIBERDADE…

Ainda é verão?

Tome um tempo preguiçoso,

E faça uma arte abstrata!

Mudanças…

Já é de manhã.

E é um dia de verão!

Inspirando-se no fim do dia,

Com Pessoas Encantadoras e um bom jantar em uma Bela Noite.

Ascenda uma fogueira… Porque FRIO é MAU!

E… o AMOR QUEIMA!

Chuvoso. Dias chuvosos.

Dias Azuis vão ser os melhores dias

Apenas seja uma MÁQUINA de OVERDOSE…

——————————————————————————————————————————————————–

Eros, por Bruno Duarte

Nas folhas secas d’outono traz a cor vivente

Do sentimento fugaz e ligeiro,

Mostra-se um fogo, imponente,

Propriedade ardente, todo e inteiro.

O toque preciso e violento,

A flor delicadamente expressa,

O espírito ao peito – preso ao vento:

O medo de que a pétala se despeça

Marcado fundo e profundo?

A leveza do perfume dispersa,

Alegrias maiores que o mundo!

Amor completo, amor repleto,

Felicidade austera

De ter um anjo por perto.

Você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.