Estudantes do São José têm poemas publicados no Sarau Brasil 2017

Textos foram selecionados a partir de Concurso Nacional de novos poetas

Amigos-irmãos, em sala de aula e também no gosto pela poesia. Assim pode-se definir a parceria firmada entre os jovens Bruno Duarte, 16, e Franco Guglielmoni, 18, estudantes do Ensino Médio do Colégio Franciscano São José de Erechim que foram selecionados para compor o livro Antologia Poética, Prêmio Sarau Brasil 2017.

A obra, já publicada pela editora Vivara e disponível na biblioteca do Colégio, tem alcance nacional e visa, conforme os propositores do prêmio, estimular a poesia contemporânea brasileira – com textos selecionados entre escritores de diversas regiões do país.

O reconhecimento, fruto do talento de ambos, reforça o compromisso do Colégio Franciscano São José em formar cidadãos preparados para a vida – estimulando os diversos olhares possíveis.

No caso de Bruno, por exemplo, este olhar alcança o prazer de fazer ‘arte pela arte’, traço comum aos parnasianos. Já na experiência de Franco, nascido na Argentina e que mora no Brasil desde bebê, o gosto pela escrita permite que o jovem canalize suas energias, escrevendo o que sente – elemento que o conduz, de igual modo, para a profissão que escolheu seguir, o cinema.

Outra característica comum a ambos reside na liberdade e no estímulo oferecido pelo Colégio no desenvolvimento dos respectivos potenciais produtivos. ‘Nossos professores são amigos, e se preocupam com a gente. Isso incentiva e faz com que cada um de nós possa ir além’, observa Bruno – que projeta ingressar na ONU para promover projetos que estimulem melhores condições de vida aos menos favorecidos.

A seguir as obras que colocaram os jovens entre os melhores poetas contemporâneos do Brasil, em 2017:

Máquina de Overdose, por Franco Guglielmoni

Eu posso ver luzes na escuridão…

Não é o fim do dia.

Não há nenhuma saída fácil!

Apenas… Escute sua Alma…

… Emergindo da Escuridão,

Tocando a Luz das Almas…

Como um Espectro durante a festa,

Nas luzes noturnas.

É uma nova fronteira.

Olhe para as flores,

O Mar Prateado!

Você está na LIBERDADE…

Ainda é verão?

Tome um tempo preguiçoso,

E faça uma arte abstrata!

Mudanças…

Já é de manhã.

E é um dia de verão!

Inspirando-se no fim do dia,

Com Pessoas Encantadoras e um bom jantar em uma Bela Noite.

Ascenda uma fogueira… Porque FRIO é MAU!

E… o AMOR QUEIMA!

Chuvoso. Dias chuvosos.

Dias Azuis vão ser os melhores dias

Apenas seja uma MÁQUINA de OVERDOSE…

——————————————————————————————————————————————————–

Eros, por Bruno Duarte

Nas folhas secas d’outono traz a cor vivente

Do sentimento fugaz e ligeiro,

Mostra-se um fogo, imponente,

Propriedade ardente, todo e inteiro.

O toque preciso e violento,

A flor delicadamente expressa,

O espírito ao peito – preso ao vento:

O medo de que a pétala se despeça

Marcado fundo e profundo?

A leveza do perfume dispersa,

Alegrias maiores que o mundo!

Amor completo, amor repleto,

Felicidade austera

De ter um anjo por perto.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais