QUAL O MOTIVO DO TEU SOFRIMENTO?

A maioria dos nossos sofrimentos são consequências das nossas vontades não satisfeitas. Somos cheios de sonhos que não se realizarão, pois são fantasias tolas que só produzem frustrações. Gostaríamos de poder dizer que nossa vida está “às mil maravilhas”, que “vai muito bem, obrigado!”, mas não é assim. O ser humano é naturalmente insatisfeito! Nós sempre queremos mais do que necessitamos; fazemos comparações com os outros; exigimos dos familiares o que eles não podem nos dar e, por fim, criamos nosso próprio sofrimento. Precisamos aprender a agradecer a Deus, pois Ele nos ama e conhece cada uma de nossas necessidades e não deixa que nada nos falte (leia em Filipenses 4:19).

Precisamos aprender a receber tudo com ações de graças. O nosso ego nunca está satisfeito e, se nós o alimentarmos, cada dia ele almejará mais coisas. E essas vontades são provenientes de uma alma voltada para as coisas materiais, alimentada pelos desejos egocêntricos e despertada pelo que vê. Algumas vezes acabamos “curtindo” o nosso sofrimento, falando deles às pessoas para que tenham compaixão de nós. Outras vezes nos colocamos como vítimas, como coitadinhos, e preferimos ficar “pra baixo” a sair dessa situação. Tudo isso é vão e só nos traz mais prejuízo. Não devemos criar estes sofrimentos! Nossa real necessidade é aproximar-se do Criador. Nós precisamos, assim como o apóstolo Paulo, aprender a viver contente em toda e qualquer situação (Leia Filipenses 4:11).

Há um outro tipo de sofrimento, produzido pela disciplina de Deus. Por exemplo, quando queremos tirar uma sujeira da mão, basta lavá-la e pronto, tudo está limpo! Mas se temos uma mancha de nascença e queremos tirar, temos que passar por uma cirurgia que trará dores, porque algo de nós precisa ser arrancado. Da mesma forma, para aprendermos a obedecer a Deus, sofremos, porque Ele precisa tirar a natureza pecaminosa de dentro de nós.

Portanto, devemos saber porquê sofremos. Se sofremos porque não temos o que gostamos, estamos sofrendo em vão e devemos aproximar-nos de Deus. Se estamos sofrendo pelo resultado da disciplina divina, temos que perseverar, pois mesmo que doa, aprenderemos a obedecer a Deus para vivermos em plena comunhão com Ele. O texto em 1Pedro 4:12-19 diz que sofrer por Cristo é um privilégio glorioso. Se estamos sofrendo como cristãos, por levar a cruz e aceitar tudo o que Deus faz em nossa vida, obedecendo aos Seus mandamentos, nosso sofrimento não é vão! Pergunte-se: Qual o motivo do meu sofrimento?

Por Eriberto Nespolo

Comentários estão fechados.