Erechim e região seguem para um possível lockdown

Se não houver conscientização, principalmente dos jovens, viveremos dias difíceis

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Todos os dias o assunto acaba sendo o mesmo aqui no Portal da Rádio Cultura e Jornal Boa Vista. Mas, enquanto imprensa seguimos firmes informando com clareza a realidade de Erechim e região.

Neste início desta semana uma coletiva de imprensa sobre o coronavírus foi promovida pelo Comitê Regional, AMAU, Hospital de Caridade, Hospital Santa Terezinha, Unimed, Conselho de Secretarias Municipais de Saúde/R16, 11ª Coordenadoria Regional de Saúde e Associação Médica. Em todas as falas dos profissionais da saúde e equipe envolvida no combate a covid, foi possível compreender que seguimos para um possível lockdown se não houver conscientização. “Ou mudamos nossas práticas ou o momento mudará nossas vidas”, disse o membro do comitê regional de combate a Covid-19, Jackson Arpini.

Acompanhe os relatos:

Prefeito de Ipiranga do Sul, Mario Luiz Ceron, presidente da AMAU

“Durante 9 meses nossos indicativos eram exemplo, mas agora precisamos nos abraçar novamente para não perder toda a construção de sucesso. Pedimos apoio, principalmente da juventude que é o maior número de contaminados. Precisamos cuidar das vidas e também da economia”.

Membro do comitê regional de combate a Covid-19, Jackson Arpini

“Precisamos dar um choque de realidade na população, para não enfrentarmos um cenário mais nebuloso. Os dados são preocupantes, em 38 dias chegamos a 812 casos ativos. Hoje, 50% dos contaminados tem menos de 50 anos e os maiores índices estão entre os jovens, 20 a 29 anos. A ocupação de leitos clínicos já chegou a 80,49% e UTI 60,87%. Ou mudamos nossas práticas ou o momento mudará nossas vidas”.

Representando o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde, secretária de Saúde de Jacutinga, Valdirene Foletto

“As equipes de saúde estão trabalhando no limite de profissionais e não há pessoas para substituir. Os assintomáticos são tratados nos municípios, mas em casos graves é necessário encaminhá-los para Erechim. Precisamos que a população faça um pouco mais, volte a cooperar. Não querermos dizer para a comunidade que infelizmente não temos vagas para encaminhar seu familiar”.

Diretor Executivo da Fundação Hospitalar Santa Terezinha, Hélio Bianchi

“Nossos recursos físicos são finitos, a capacidade não vai suportar se continuar neste ritmo. Nosso suporte é para 250 mil habitantes e ainda, Passo Fundo e Palmeira das Missões. Quem está se contaminando são os jovens, mas quem vai para o hospital é o pai, mãe e avós”.

Representante da 11ª Coordenadoria Regional de Saúde

“Temos por parte do Estado 15 leitos de UTI no Santa Terezinha e 3 no Caridade. A situação é emergente, precisamos unir esforços e cada um fazer a sua parte”.

Representante da Associação Médica, Jaqueline Graeff Machry 

“Temos enfrentado uma série de situações, profissionais da saúde adoecendo, sendo afastados por contaminação. Muitos profissionais tem sido contratados, mas nem todos tem preparo para UTI”.

Diretor Clínico do Hospital Unimed, Dr. Elcio Marcos Zanardo

“Tem aumentado o número de atendimentos, bem como de contaminados. É preciso tomar atitudes do ponto de vista das autoridade. Hoje os pais e avós estão pagando a conta da irresponsabilidade dos jovens. Estamos aprendendo com a doença, é preciso que todos se conscientizem”.

Superintendente Geral no Hospital de Caridade, Claudiomiro Carus 

“Precisamos de um choque de realidade, pois quem vai trabalhar na estrutura que temos? Temos dificuldade na escala médica, de pessoas preparadas para trabalhar diretamente com as pessoas contaminadas. Além da técnica, é preciso saúde mental. Antes da pandemia atendíamos 110 pessoas dia, durante a pandemia reduzimos 30 a 70 e hoje, chegamos a 150 atendimentos diários, 50% são covid. Nossos leitos clínicos estão na capacidade máxima e precisamos da compreensão de todos”.

Por Carla Emanuele 

 

Get real time updates directly on you device, subscribe now.