SUTRAF-AU promove II Encontro Regional de Mulheres Agricultoras Familiares

Evento que ocorre na sexta-feira (24) com o tema "Mulheres lutando por seus direitos, igualdade e respeito”

66
O Sindicato Unificado dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Alto Uruguai (SUTRAF-AU), por meio do Coletivo de Mulheres, promove na próxima sexta-feira, 24 de novembro, a partir das 9h, o II Encontro Regional de Mulheres Agriculturas Familiares. O evento ocorre no CTG Galpão Campeiro em Erechim e deverá debater temas como a relação entre homens e mulheres, organização das mulheres e a luta por direitos. 
 
De acordo com o coordenador geral do SUTRAF-AU, Douglas Cenci, mais de mil mulheres de toda a região são esperadas para o evento. “A mulher tem um papel importantíssimo na sociedade e infelizmente ainda precisa lutar por igualdade de direitos. Esse é um momento importante para debater e incentivar o protagonismo feminino para que possamos todos juntos lutar pela manutenção dos direitos conquistados e pela ampliação da participação das mulheres”, disse. 
 
A programação do evento contará com um painel sobre “Violência, Direitos e Organização das Mulheres”. A delegada da delegacia da mulher, Raquel Kolberg falará sobre a “Violência Contra Mulher” e a agrônoma da Emater Ascar Cecilia Bernardi abordará as “Lutas, conquistas e a organização das mulheres”. 
 
De acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado em outubro de 2017, a cada duas horas uma mulher é assassinada no Brasil. Os dados alarmantes apresentam também que o número de estupros cresceu no país 3,5% chegando a 49.497 ocorrências em 2016. “Infelizmente a violência doméstica e o número de mulheres mortas por seus companheiros são enormes. Por esse motivo precisamos nos unir lutando por respeito e por políticas públicas que combatam a violência”, destacou a representante da coordenação do Coletivo de Mulheres, Juraci Zambon. 
 
Segundo Juraci, não há mais espaço para o machismo e o conservadorismo, pois as mulheres desenvolvem funções que iguais aos homens, enfrentando tratamento e salários desiguais. Segundo pesquisas sobre o tema, as mulheres chegam a ganhar 30% menos que os homens, mesmo desempenhando as mesmas funções no mercado de trabalho. Além disso, precisam enfrentar o feminicídio, que é quando a mulher é assassinada devido ao preconceito de gênero. Sendo que muitas vezes a violência é cometida por ex-parceiros que não aceitaram o término de uma relação, ou que foram denunciados por violência, entre diversos outros casos.
 
O evento será encerrado com uma caminhada pelas ruas de Erechim, chamando a atenção da população para o tema. O II Encontro Regional de Mulheres Agriculturas Familiares tem o patrocínio da Cresol Central, Creral, Olfar Alimentos, Sicredi, Prefeitura de Erechim, Cresol Sicoper e Kesoja. 
 
Confira a programação completa: 
9h15min– Composição da Mesa e Mística
10h – Pronunciamentos
10h45min– Painel: Violência, Direitos e Organização das Mulheres
• Delegada Raquel Kolberg – Violência Contra Mulher
• Cecilia Bernardi – Lutas, Conquistas e Organização das Mulheres
12h30min – Almoço
14h – Concentração e preparação para caminhada
14h30min – Caminhada
15h30min – Mística Final
16h – Encerramento
Você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.