Triste realidade na busca de uma perícia no INSS em Erechim

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

O tema ainda não chegou ao fim, governo e médicos peritos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) estão travando uma verdadeira “batalha” pela retomada do atendimento presencial. Em meio a essa história, quem sofre é a população.

Os médicos peritos resistem a retomar os trabalhos presenciais, assim como tem acontecido em Erechim. Conforme o INSS, sob alegação de falta de condições sanitárias contra a covid-19. Entretanto, a Rádio Cultura e Jornal Boa Vista acompanhou in loco as adequações e os requisitos sanitários estão em perfeitas condições.

A falta de atendimento entristece quem acompanha de perto a realidade de tantos segurados, a exemplo dos funcionários que estão na linha de frente e a todo momento precisam dar explicações. Conhecemos muitos casos nos últimos dias e o sofrimento de alguns erechinenses ou munícipes da região, é de cortar o coração.

Na manhã desta quarta-feira (23), às 5h da manhã, segurados de Maximiliano de Almeida aguardavam o instituto abrir. Muitos vem de municípios mais afastados, enfrentam estrada de chão, tem custo com ônibus, táxi ou, a todo custo buscam uma carona. Os relatos também passam pela falta de ter o que comer ou, precisar aguardar até o final do dia o transporte para retornar aos seus municípios.

Voltam para casa sem respostas, sem ter seu problema resolvido.

Enquanto isso, a associação dos peritos acusa o governo de ter flexibilizado os protocolos para declarar aptas um maior número de agências. Enquanto o governo diz haver mais de 400 das 1,5 mil unidades adequadas às condições sanitárias.

Por Carla Emanuele 

Get real time updates directly on you device, subscribe now.