Triste realidade na busca de uma perícia no INSS em Erechim

O tema ainda não chegou ao fim, governo e médicos peritos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) estão travando uma verdadeira “batalha” pela retomada do atendimento presencial. Em meio a essa história, quem sofre é a população.

Os médicos peritos resistem a retomar os trabalhos presenciais, assim como tem acontecido em Erechim. Conforme o INSS, sob alegação de falta de condições sanitárias contra a covid-19. Entretanto, a Rádio Cultura e Jornal Boa Vista acompanhou in loco as adequações e os requisitos sanitários estão em perfeitas condições.

A falta de atendimento entristece quem acompanha de perto a realidade de tantos segurados, a exemplo dos funcionários que estão na linha de frente e a todo momento precisam dar explicações. Conhecemos muitos casos nos últimos dias e o sofrimento de alguns erechinenses ou munícipes da região, é de cortar o coração.

Na manhã desta quarta-feira (23), às 5h da manhã, segurados de Maximiliano de Almeida aguardavam o instituto abrir. Muitos vem de municípios mais afastados, enfrentam estrada de chão, tem custo com ônibus, táxi ou, a todo custo buscam uma carona. Os relatos também passam pela falta de ter o que comer ou, precisar aguardar até o final do dia o transporte para retornar aos seus municípios.

Voltam para casa sem respostas, sem ter seu problema resolvido.

Enquanto isso, a associação dos peritos acusa o governo de ter flexibilizado os protocolos para declarar aptas um maior número de agências. Enquanto o governo diz haver mais de 400 das 1,5 mil unidades adequadas às condições sanitárias.

Por Carla Emanuele 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais