Sicredi UniEstados realiza ações na 6ª Semana Nacional de Educação Financeira

Palestras com especialista na área de finanças foram promovidas em Erechim e em Concórdia

A Sicredi UniEstados está participando intensamente da 6ª Semana Nacional de Educação Financeira, com ações desenvolvidas em todas as agências de sua área de atuação no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Minas Gerais. Seja em sensibilização através de palestras, ou por meio da distribuição de folhetos orientativos, a cooperativa promoveu nesta segunda e terça-feira, 20 e 21, duas palestras com o especialista nas áreas de Finanças, Gestão e Governança, o Professor Dr. Andriei José Beber. Uma palestra aconteceu na URI, em Erechim/RS, e outra na Universidade do Contestado – UnC, em Concórdia. No total, mais de 500 pessoas, entre estudantes, diretores, gerentes do Sicredi e comunidade, assistiram aos ensinamentos do Professor Beber, que recebeu por quatro vezes o prêmio Mérito Docente na categoria Finanças e Métodos da FGV (Fundação Getúlio Vargas), criador do método dos 4Rs para as pessoas melhor administrarem suas finanças.

A 6ª Semana Nacional de Educação Financeira, que acontece de 20 a 26 de maio, é realizada anualmente pelo Comitê Nacional de Educação Financeira (CONEF) para estimular o debate sobre o tema na sociedade. O conceito da instituição neste ano é fique no verde – Faz diferença deixar sua vida financeira mais saudável.

De acordo com o Diretor de Operações da Sicredi UniEstados, Jaime Célio Testolin, faz parte da missão da cooperativa ajudar os associados e a comunidade a terem uma relação mais saudável com o dinheiro, por isso, anualmente, o Sicredi adere sempre à Semana Nacional de Educação Financeira reforçando suas ações nesta área durante este período. “Só em 2018, as mais de 100 ações colocadas em prática nas agências do Sicredi impactaram mais de 3.600 pessoas”, lembrou Testolin.

MÉDODO DOS 4 Rs

De acordo com o professor Andriei Beber, muitas pessoas enfrentam dificuldades quando o assunto é gerenciar o próprio dinheiro. Segundo ele, hoje no Brasil há cerca de 63 milhões de endividados, o que mostra que tem espaço para as pessoas aprenderem um pouco melhor a lidar com o crédito, com o dinheiro, entender um pouco de orçamento e, principalmente, conversar com a família para definir o padrão de consumo que se terá, e se esse padrão é compatível com o que ela ganha. Para o palestrante, o grande problema hoje é a pressão do mercado pelo consumo. “O que por um lado é bom porque movimenta a roda da economia, por outro lado pode levar as pessoas a gastarem muito mais do que podem ou terem hábitos de consumo que vão além de sua capacidade financeira”, destacou.

Conforme explicou, o método dos 4Rs é um modelo prático para ter uma vida financeira equilibrada: Reconhecer, Registrar, Revisar e Realizar. Primeiramente, reconhecer a necessidade de assumir as rédeas das finanças pessoais e promover uma profunda reflexão sobre os objetivos financeiros individuais e familiares. O professor Beber foi categórico ao afirmar que é necessário manter as rédeas das finanças pessoais. “Eu preciso de fato assumir o controle das finanças. Dinheiro é um meio, não é fim. Não podemos achar que dinheiro é para se gastar e que eu não sou feliz se não gastar”, salientou. A segunda etapa é registrar os gastos que estão sendo realizados e avaliar de forma palpável a entrada e saída de dinheiro. Em seguida, revisar seus hábitos de

consumo e oportunidades para otimizar o uso dos recursos. E, somente após, realizar seus sonhos. “Quando a pessoa tem consciência de onde o seu dinheiro está sendo gasto, ela pode redefinir as prioridades e se dedicar a alcançá-las sem ficar endividado. Para isso, entretanto, é preciso disciplina e comprometimento com as metas estabelecidas”, reforçou o especialista.

Para o estudante do terceiro semestre de Ciências Contábeis da UnC, Guilherme Veronez, uma falha comum entre os jovens é não saberem administrar bem o dinheiro. “Se quisermos realizar nossos sonhos precisamos fazer essa administração de modo adequado e a palestra nos trouxe muito conhecimento com estratégias e noções para evitar o desperdício”, avaliou.

Comentários estão fechados.