Senadora Ana Amélia Lemos encerra ciclo de conferências do Fórum do Direito da URI

Com a realização da conferência da senadora Ana Amélia Lemos, encerrou na sexta-feira à noite, 20, o XXV Fórum de Estudos das Ciências Jurídicas e Sociais da URI, que marcou os 25 anos do Curso de Direito.

Ana Amélia fez uma reflexão sobre o cenário político nacional. Disse que o eleitor, especialmente nas eleições deste ano, precisa ter uma atitude de muita responsabilidade. “Votar em branco ou nulo não é a solução. Isso é omissão”, afirmou a senadora. A única forma de mudar o cenário político brasileiro é através do voto, via política, o que aumenta a responsabilidade do eleitor, reforçou Ana Amélia.

Disse que hoje existem ferramentas onde o eleitor pode buscar informações sobre os candidatos, especialmente através do sistema de transparência em todos os setores públicos do país. “O eleitor precisa ter critério e, ao mesmo tempo, rigor na escolha de seus representantes, que devem primar pela honestidade e competência, que tenha respeito e compromisso com o dinheiro público e que trabalhe pela coletividade e não de forma individual e partidária”.

Haroldo Guimarães tratou sobre a reforma trabalhista

Através do sistema de transparência, analisou a senadora, o eleitor pode ver como se comportam os políticos, se eles são honestos, a sua atuação como parlamentar, se ele produz ou apenas marca presença; se criou leis e com que interesse ou não produziu nada. “Através dessas consultas, o eleitor poderá ter mais segurança no exercício do voto”, garantiu.Porém, chamou a atenção sobre as notícias falsas. “Colocar tudo num saco só não é justo, embora o setor político, hoje, seja muito visado por ser responsável por conduzir os destinos da nação. No judiciário, tem juiz que vende sentença e promotores com desvio de conduta; nas igrejas, igualmente; e nos negócios têm empresários que sonegam impostos. Colocar a culpa apenas nos políticos é terceirizar a ética”, observou a senadora.     

O Fórum do Direito teve, ainda, na quinta-feira, 19, mais duas conferências. A primeira delas, com o advogado e professor Eduardo Sabbag, que tratou das incoerências e contradições da carga tributária brasileira. Sabbag é autor de várias obras jurídicas para concursos e possui mais de um milhão de seguidores nas redes sociais. Trouxe uma visão didática do Direito Tributário e provocou um despertar para uma área que muitas vezes é discriminada pelos acadêmicos. Por isso, procurou repassar estímulo e curiosidade aos presentes.

Nesse mesmo sentido foi a fala do advogado e consultor empresarial Haroldo Guimarães. Valendo-se de sua performance artística, apresentou alguns artigos da Reforma Trabalhista de forma lúdica e acessível.

A Coordenadora do Curso, Simone de Albuquerque, ao avaliar o Fórum, disse que “o evento foi uma experiência muito rica para todos os acadêmicos e professores e espera que se repita nos próximos anos. Por isso, nesse momento, o nosso agradecimento àqueles que contribuíram para a realização do Fórum, em especial aos nossos alunos que participaram com entusiasmo mas, principalmente, com muito respeito e atenção com todos os palestrantes. Foi a prova de que chegamos aos 25 anos do Curso com maturidade e excelência, uma conquista que deve ser louvada por todos”, concluiu.           

Eduardo Sabbag analisou a carga tributária brasileira

 

Comentários estão fechados.