“Sem recursos teremos que cortar despesas e reduzir serviços. Quando não tem dinheiro, não se gasta”, diz diretor da FHSTE

Na quinta-feira (21) , o diretor da Fundação Hospitalar Santa Teresinha (FHSTE), Hélio Bianchi, trouxe informações a respeito da negociação em curso que trata da renovação do contrato de prestação de serviço do hospital com o Estado. “Precisamos comemorar as pequenas vitórias, na área da alta complexidade foi sinalizado um aumento na renovação do contrato e, seguimos junto a 11ª coordenadoria pontuando o que precisamos adequar no contrato, estamos discutindo valores de reajuste, mas também precisamos receber os valores que estão em aberto desde o mês de setembro”, disse Bianchi.

Também comentou sobre a questão dos financiamentos que foram liberados para os hospitais filantrópicos, através da linha de crédito por intermédio do Fundo de Apoio Financeiro e de Recuperação dos Hospitais Privados, Sem Fins Lucrativos e Hospitais Públicos (Funafir). “Já que os hospitais filantrópicos foram beneficiados com a liberação do financiamento, pedimos que a secretária de Saúde, Arita Bergman, priorize o pagamento aos hospitais públicos”, declarou Bianchi.

Quando questionado sobre o seu pedido de demissão, disse: “Estou trabalhando no hospital com a mesma garra e empenho de antes, mas continuo com o pedido de demissão, cumpro com o que prometi ao prefeito, que enquanto não houver alguém para me substituir continuo na direção”.

Bianchi também voltou a frisar sobre as dificuldades enfrentadas pela falta de recursos. “Se os recursos não vierem, teremos que cortar despesas e reduzir serviços. Quando não tem dinheiro, não se gasta”, finalizou.

Por Da Redação

 

 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais