“Sem recursos teremos que cortar despesas e reduzir serviços. Quando não tem dinheiro, não se gasta”, diz diretor da FHSTE

Na quinta-feira (21) , o diretor da Fundação Hospitalar Santa Teresinha (FHSTE), Hélio Bianchi, trouxe informações a respeito da negociação em curso que trata da renovação do contrato de prestação de serviço do hospital com o Estado. “Precisamos comemorar as pequenas vitórias, na área da alta complexidade foi sinalizado um aumento na renovação do contrato e, seguimos junto a 11ª coordenadoria pontuando o que precisamos adequar no contrato, estamos discutindo valores de reajuste, mas também precisamos receber os valores que estão em aberto desde o mês de setembro”, disse Bianchi.

Também comentou sobre a questão dos financiamentos que foram liberados para os hospitais filantrópicos, através da linha de crédito por intermédio do Fundo de Apoio Financeiro e de Recuperação dos Hospitais Privados, Sem Fins Lucrativos e Hospitais Públicos (Funafir). “Já que os hospitais filantrópicos foram beneficiados com a liberação do financiamento, pedimos que a secretária de Saúde, Arita Bergman, priorize o pagamento aos hospitais públicos”, declarou Bianchi.

Quando questionado sobre o seu pedido de demissão, disse: “Estou trabalhando no hospital com a mesma garra e empenho de antes, mas continuo com o pedido de demissão, cumpro com o que prometi ao prefeito, que enquanto não houver alguém para me substituir continuo na direção”.

Bianchi também voltou a frisar sobre as dificuldades enfrentadas pela falta de recursos. “Se os recursos não vierem, teremos que cortar despesas e reduzir serviços. Quando não tem dinheiro, não se gasta”, finalizou.

Por Da Redação

 

 

Comentários estão fechados.