Avaliações médicas no Atlântico buscam informações sobre cada atleta

Objetivo também é atuar na prevenção de lesões e garantir a melhor preparação possível para cada jogador

Para que uma equipe de futsal conquiste seus objetivos, é preciso alinhar uma série de atividades, que vão desde os bastidores até o jogo. Por isso, o Atlântico entre as preocupações que possui, coloca a minimização de lesões ao longo do ano como uma das metas.

Ter menos lesões significa ter o grupo o mais completo possível na maior parte dos jogos. Neste sentido os médicos do Clube também tem papel importante. Os doutores Rodrigo Mocellin e Neri Omizzolo, juntamente com o diretor Mário Tormen, são os responsáveis pelas avaliações médicas no início da pré-temporada, que vão servir de base para o ano todo.

Mocellin ressalta que o primeiro passo é avaliar a saúde dos atletas, tanto os que estão chegando, quanto os que permanecem das temporadas anteriores. “Esta é uma rotina no Clube, todo inicio de ano são feitas as avaliações completas, primeiro com interrogações sobre diversos pontos como medicamentos utilizados, doenças prévias, cirurgias já realizadas, dores, e após, é realizado o exame físico completo dando ênfase aos joelhos e tornozelos, que acabam sendo as principais lesões que os atletas sofrem, pelo que é observado durante o ano, testes em ligamentos, meniscos, musculatura, restrições de mobilidade, enfim, um diagnóstico completo para conhecer melhor o atleta”, salienta.

IMG_3618 (Copy)

“Estas avaliações estão sendo cada vez mais valorizadas pelos grandes clubes. Os departamentos médicos são compostos por equipes multidisciplinares com médicos, fisioterapeutas, profissionais de educação física, dentistas, fisiologistas e nutricionistas. A partir das avaliações que realizamos, monta-se um plano de como trabalhar junto com toda a equipe de profissionais envolvidos na prevenção de lesões”, acrescenta Omizzolo.

Mocellin enfatiza que o diagnóstico realizado neste período do ano, vai balizar tomadas de decisões ao longo da temporada e até na pré-temporada, estabelecer se um determinado atleta precisa de carga diferenciada de trabalhos. “E caso venha a surgir uma lesão ao longo do ano, já teremos um histórico para analisar e tentar entender melhor o porque da lesão e a forma de melhor e mais rapidamente tratar”, amplia o médico.

“A avaliação de pré-temporada é fundamental para um bom trabalho e com resultados positivos durante o ano todo, tendo o mínimo de lesões possíveis associado a um alto rendimento físico dos atletas”, completa Neri Omizzolo.

O Atlântico abriu sua pré-temporada na última segunda-feira, 20. Neste ano, disputará a Supercopa, Liga Nacional e Liga Gaúcha entre as competições oficiais.

Comentários estão fechados.