O perigo mora ao lado: vizinhos estão envolvidos no sequestro de médica

Pai de Tamires revelou que chegou a reunir o valor para o resgate

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Com a libertação da médica Tamires Mignoni do cativeiro onde foi mantida por mais de 130 horas, detalhes do crime começam vir à tona.

Em entrevista a rede CATVE do Paraná, Berto Silva, pai de Tamires, revelou que uma mulher que mora a poucos metros da casa onde ele vive com a família havia sido presa na manhã desta quinta-feira por envolvimento no sequestro.

O prefeito de Laranjeiras do Sul revelou que a filha não está ferida mas que está muito abalada psicologicamente. “Terá que passar por um tratamento. Ninguém sai de um cativeiro da mesma forma como entrou”, explicou Silva.

A polícia revelou no início da manhã desta quinta-feira em entrevista coletiva que os sequestradores são um segurança de uma agência do Banco do Brasil, uma dona de casa e um taxista. Todos são moradores de Laranjeiras do Sul. “O sequestrador mora há 60 metros da minha casa. Uma pessoa fria, calculista, que engendrou tudo isso e a mulher dele participou e está sendo presa agora. Da sacada do meu apartamento é possível ver a prisão.” disse durante a entrevista.

Berto contou que nunca pensou que a filha pudesse ser vítima de um sequestro. “Se uma quadrilha fosse pinçar mil pessoas sequestráveis em Erechim, que é uma cidade industrializada, a minha filha não entraria na lista, mas ela foi pinçada, foi encomendado e as pessoas foram buscar ela na porta de uma UBS”.

Questionado se poderia haver motivação política no sequestro de sua filha, Berto Silva ficou em dúvida. “Não, não. Seria possível e provável que isso ocorresse. Eu ainda não sei se isso tem envolvimento de gente da política mas aparentemente não. Eu não colecionei inimigos para chegar a esse ponto. Fiz um exame de consciência, sou prefeito há 12 anos, e nunca achei que tivesse um inimigo voraz capaz de fazer mal para minha filha por conta da atividade política”, disse.

O prefeito de Laranjeiras revelou que chegou a reunir o dinheiro solicitado como resgate. “Eu cheguei a reunir os R$ 2 milhões com ajuda de familiares e amigos do Brasil inteiro. Eu não perderia minha filha por causa de dinheiro”.

O pai de Tamires contou que fez o dever de pai reunindo o valor e avisou os policiais, porém, o trabalho das forças de segurança evitou que fosse necessário realizar o pagamento.

Todos os envolvidos no sequestro estão sendo trazidos para Erechim, onde a imprensa será atendida para maiores detalhes a respeito deste caso.

Fonte: Rádio Uirapuru

Get real time updates directly on you device, subscribe now.