Começa na UFFS a IX Semana do Diversa

Palestra de abertura foi com a professora Roselane Zordan Costella, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, convidada a falar sobre os saberes e itinerários que transformam os profissionais da educação

Começou nesta segunda-feira (21), na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Erechim, a IX Semana do Diversa, evento que congrega múltiplas atividades ao longo de cinco dias. A programação contempla a apresentação de mais de 300 trabalhos acadêmicos, além de palestras, oficinas, atividades culturais e workshops.

Ontem à noite ocorreu a palestra de abertura. A professora Roselane Zordan Costella, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), foi convidada para falar sobre os saberes e itinerários que transformam os profissionais da educação. O tema da conferência, segundo a docente, nasceu a partir de um grupo de pesquisa de seu pós-doutorado, quando Roselane trabalhou com a narrativa de professores para que os profissionais ressignificassem as suas práticas, a fim de invadir as práticas de outros colegas.

Em sua fala, Roselane destacou que “o professor está se reconhecendo, está se reconstruindo, está se munindo de conceitos e de possibilidades para enfrentar a Educação Básica, que está cada vez com um desafio maior”.

Segundo a docente, não se trata apenas de desafios inscritos no âmbito da tecnologia. “O que a gente preza com a formação dos professores é que eles deem valor para a reflexão, e não somente para o conteúdo em si. De conteúdos estamos cheios. Nós precisamos fazer com que os nossos alunos reflitam e ajam sobre aquilo que estão aprendendo. Este é o grande desafio da formação de professores hoje. É fazer com que eles compreendam que o produto deles não é o conteúdo. O produto deles é o processo reflexivo dos alunos”, pontuou Roselane.

Falando para uma plateia formada em grande parte por acadêmicos de cursos de Licenciatura, a professora da UFRGS ainda deu dicas para os futuros docentes. “Acho fundamental que cada um observe o seu itinerário de vida. O professor é o único profissional que passa praticamente toda a sua vida dentro do local em que vai trabalhar. Ele entra na escola com seis anos e nunca mais sai, só quando se aposenta”, disse.

“Então, que ele busque no seu itinerário quais professores o marcaram, e o motivo pelo qual marcaram. Se marcaram pelo bem, que se repita. Mas se marcaram pelo mal, que isso seja levado em consideração para não marcar os seus alunos”, falou. “Outra coisa importante para um lincenciando: perceber, no conteúdo que está apreendendo, como é que este conteúdo poderá ser ensinado. E não somente como pode ser apreendido. Aprender é muito mais fácil que ensinar. Ser professor é muito mais difícil que qualquer outro profissional.”

Evento para todos os gostos

Antes da conferência da professora Roselane, o diretor da UFFS – Campus Erechim, Luís Fernando Santos Corrêa da Silva, ressaltou a importância da Semana do Diversa. “É um grande momento da Universidade, em que todas as nossas produções acabam sistematizadas e apresentadas para a comunidade acadêmica e também para a comunidade regional”, explicou.

“Penso que ainda temos um grande desafio, que é levar a público a nossa produção, para que a sociedade entenda tudo aquilo que nós produzimos não apenas em termos quantitativos, mas também em termos qualitativos”, disse o diretor.

Uma das ações da Semana do Diversa destacada por Luís Fernando foi os lançamentos de livros. “Tivemos a iniciativa de montar um painel com mais de 250 obras que foram produzidas ou organizadas por servidores aqui do Campus Erechim, e isso demonstra toda a pujança e todo o compromisso que temos com a produção do conhecimento.”

Para o diretor, a comunidade acadêmica deve aproveitar o evento também como uma oportunidade de conhecer a produção de outras áreas do conhecimento. “A Semana do Diversa é muito interessante porque ela proporciona um contato interdisciplinar. É uma semana de encontro, para que as pessoas tenham condições de participar das atividades que estão relacionadas a sua área de formação, aos seus cursos, mas também de conhecer e ter contato com produções que são de outras áreas do conhecimento”, pontuou.

“O evento também é um convite para quem ainda não conhece o nosso Campus. É a possibilidade de nos integrarmos de forma mais qualificada com a sociedade, e é a possibilidade de as pessoas virem até o Campus Erechim e ver tudo aquilo que a gente realiza.”

A programação da Semana do Diversa segue até sexta-feira e é aberta para toda a comunidade regional. O cronograma das atividades pode ser conferido na página https://www.uffs.edu.br/institucional/pro-reitorias/pesquisa-e-pos-graduacao/sepe/sepe-edicao-ix/programacoes.

Comentários estão fechados.