O ‘Inesperado Roteiro da Vida’ emociona 800 pessoas em noite de sonhos no São José

Atividade que integrou o Projeto Primavera Cultural do Colégio passeou por obras cinematográficas e mostrou que depende de cada um transformar sonho em realidade

57

Os mais de 120 estudantes do Colégio Franciscano São José envolvidos na 4ª edição do Projeto Primavera Cultural transformaram, na noite de quinta-feira, 21, o ginásio da instituição num palco de sonhos.

Na plateia, 800 pessoas prestigiaram, durante quase duas horas, um espetáculo repleto de cores, música e amor pela arte.

Cenários marcados pela atenção aos mínimos detalhes se somaram a representações carregadas de profissionalismo, encenando o ‘Inesperado Roteiro da Vida’ – tema deste ano da Primavera Cultural.

Organizado pelos estudantes das 1as e 2as séries do Colégio, juntamente com professores e coordenação pedagógica, os atores, atrizes, diretores, cantores, figurinistas, enfim, o abnegado grupo envolvido no projeto (que cuidou de tudo, do início ao fim), caminhou pelos bastidores do cinema trazendo magia e luzes ao palco principal, por onde passaram os irmãos Lumière; a Bela e a Fera; o Titanic; Avatar; Shrek; Darth Vader e Luke Skywalker

SONY DSC
SONY DSC
SONY DSC
SONY DSC
SONY DSC
SONY DSC

; Tropa de Elite; Sociedade dos Poetas Mortos e outros tantos.

Ao final, quando o holofote encontrou a todos reunidos no centro do palco, os aplausos se prolongaram por mais de cinco minutos. Cada segundo merecido, trabalhado, suado.

Para a coordenadora do Ensino Médio do Colégio São José, Cleci Luisa Lovera, a iniciativa alcançou mais uma vez seus objetivos e foi além do reconhecimento público. Segundo ela, o resultado mais valioso é aquele que consiste na formação dos jovens para o convívio harmônico em sociedade, para o mercado de trabalho e para a vida, respeitando os sonhos e desejos de cada um.

A leitura é corroborada pela diretora do Colégio, Silvana Arboit, para quem os estudantes mostraram, a partir da soma de esforços, que são capazes de transformar em realidade os roteiros de suas vidas. “Ficamos felizes por eles, razão de existir do São José”, avalia a diretora.

O Oscar, entregue durante a peça, serviu para apresentar uma nova geração de jovens comprometidos com seus objetivos, com sua escola e com o futuro da sociedade onde estão inseridos. Diante disso, não há cortina que se feche, afinal, o show tem que continuar.

Você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.