Direção da AMAU discute projeto que prevê nova repartição de ICMS

Proposta do executivo gaúcho inclui educação como critério para distribuição do Imposto

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

A direção da AMAU, representada pelo presidente Paulo Polis, e os dois vice-presidentes, Neninho e Beto Bordin, se reuniu na quinta-feira (18) com o consultor tributário Valdecir Moschetta para analisar o projeto de lei do governo do Estado que altera o Índice de Participação dos Municípios (IPM). O indicador é utilizado para distribuir a arrecadação do ICMS entre as prefeituras – e, pela proposta do executivo gaúcho, passaria a incluir critérios ligados ao desempenho da educação para definição do rateio do Imposto entre os municípios.

Durante a reunião, Moschetta apresentou aos prefeitos detalhes e considerações técnicas do projeto, além de estimativas de como a medida impactaria o caixa dos municípios do Alto Uruguai.
Saiba mais

Hoje, os parâmetros de ditribuição do ICMS são definidos pela Lei nº 11.038/97. A mudança prevista adequaria a legislação estadual à Emenda Constitucional 108/20, que revisou as regras de funcionamento do Fundeb e de repartição do ICMS entre os estados e os municípios.
A previsão é de que as novas regras, caso aprovadas pela Assembleia Legislativa, sejam aplicadas de forma efetiva sobre os critérios de repartição do ICMS a partir de 2023, com uma transição escalonada até 2027.

Por Assessoria de Comunicação

Get real time updates directly on you device, subscribe now.