Instituído no município o Plano Municipal de Atendimento Socioeducativo

O Município institui, através de Projeto de Lei, aprovado pela Casa Legislativa, o Plano Municipal de Atendimento Socioeducativo que tem duração de dez anos (2018/2028), momento em que assume a responsabilidade de seguir as diretrizes estabelecidas pelos Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo, buscando o aprimoramento da execução já realizada no sistema socioeducativo através da efetivação de ações e políticas intersetoriais que contribuam com a diminuição da entrada de adolescentes no sistema e ou com o cumprimento efetivo da Medida Socioeducativa aplicada e reinserção social positiva.

A realidade dos adolescentes brasileiros, incluindo aqueles no contexto socioeducativo, exige atenção estatal e evidencia a necessidade de uma agenda de urgências no sentido de efetivar políticas públicas e sociais e, sobretudo, ampliar os desafios para a efetiva implementação da política de atendimento socioeducativo.

No município o processo de municipalização das Medidas Socioeducativas em Meio Aberto (Liberdade Assistida) se deu no ano de 2007, onde foi implantado o Programa Municipal de Execução de Medidas Socioeducatiovas em Meio Aberto, denominado Pemse Piá. Em 2009 estabeleceu novas parcerias entre a Prefeitura Municipal e o Sindicato da Construção Civil, Patronato São José, SENAI para o desenvolvimento de cursos profissionalizantes de marcenaria e edificações na modalidade aprendiz com todos os direitos trabalhistas. Atualmente, o Serviço de Proteção Social à Adolescentes em cumprimento de Medidas Socioeducativas em Meio Aberto permanece como um dos serviços do CREAS.

Conforme estabelecido com o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente – COMDICAE e com a Promotoria Pública, o projeto objetiva traçar uma linha de conduta e de orientação tanto para a gestão, quanto para as equipes técnicas, no que se relaciona ao serviço de atendimento de medidas socioeducativas, que tenha consonância com o Sistema Nacional, especialmente com o Estatuto da Criança e do Adolescente.

Aponta o Projeto que o SINASE é um conjunto ordenado de princípios, regras e critérios que envolvem a execução de medidas socioeducativas, incluindo-se nele, por adesão, os sistemas estaduais, distrital e municipal, bem como todos os planos, políticas e programas específicos de atendimento a adolescente com conflito com a lei. Trata-se de um importante instrumento que se propõe, não só a discussão do tema, mas, principalmente, na efetivação de uma política que contemple os direitos humanos, buscando transformar a difícil realidade atual em oportunidade de mudança de atitude e comportamentos.

Por ser um instrumento de orientação normativa, o Plano não prevê, expressamente, criação ou aumento de despesa para os cofres públicos, estabelecendo no seu texto que toda e qualquer situação que ao longo dos 10 anos de vigência do mesmo, venha a implicar em aumento de despesa, terá que ser prevista e autorizada em leis próprias as quais serão acompanhadas pelos respectivos impactos orçamentários e financeiros.

Atualmente, a demanda existente é atendida pela equipe do CREAS. No contexto da assistência social, o sucesso se mede pela diminuição dos índices, pela minoração das situações de violência e vulnerabilidades, que é o que se espera com a implantação das ações e medidas previstas no Plano que ora se apresenta.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais