Na conclusão do tríduo da festa da Assunção, Catedral celebra hino especial de N. Sra.

Pe. Alvise Follador, Pároco da Catedral São José, presidiu celebração litúrgica em honra de Nossa Senhora

16

Pe. Alvise Follador, Pároco da Catedral São José, presidiu celebração litúrgica em honra de Nossa Senhora, nesta sexta-feira, 18, no final do tríduo de preparação da festa da Assunção de Maria e dos 98 anos da criação da Paróquia, neste domingo, 20. A celebração constou, fundamentalmente, do hino mariano do rito bizantino, chamado Akathistos que, literalmente, significa “cantado de pé”. Foi executado pelo coral N. Sra. de Fátima, regido pelo Pe. José Carlos Sala.

Foi composto depois do Concílio de Calcedônia, realizado em 451, precedido pelo de Éfeso, em 431, que definiu o dogma, a verdade de fé, da maternidade divina de Maria. Neste contexto, em forma orante, o hino proclama o que a Igreja dos primeiros séculos acreditou e exprimiu sobre Maria. Saúda-a como Mãe da Igreja, protetora e auxílio de todos os cristãos. Canta o mistério da encarnação salvífica de Cristo, desde a anunciação até a sua vinda final, contemplando a Virgem Mãe indissoluvelmente unida a Cristo e à Igreja.

O hino tem 4 partes. Nas duas primeiras, lembra os fatos bíblicos da vinda de Cristo ao mundo, o anúncio do anjo a Maria de que seria a Mãe de Jesus, sua visita a Isabel, o nascimento de Jesus, o anúncio aos pastores, a adoração dos magos e a fuga para o Egito. Nas outras duas partes, o hino proclama os mistérios da fé sobre Maria, sua virgindade, sua maternidade divina, sua pureza e santidade.

Cada parte do hino tem textos bíblicos, saudações e invocações a Maria, intercaladas pelo coral e a assembleia orante, que canta 144 vezes Ave Maria. Ave é a saudação do anjo a Maria, que significa alegra-te com a qual começa o novo testamento. Aparece no nascimento de Cristo, anunciado como grande alegria aos pastores e para todo o povo. Está presente no encontro com o Ressuscitado, que promete aos seus a alegria eterna.

Na motivação inicial a esta celebração orante de Maria, no centenário das aparições de Fátima, Pe. Sala desejou que ela ajude a todos a realizar o desejo do Papa Francisco de edificar uma Igreja, que seja “uma casa para muitos, uma Mãe para todos” e torne possível um mundo novo.

Você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.