Mais um diferencial para a Educação Infantil do São José

'Estimulação Cognitiva em Escolares – Funções Executivas’ é o nome do Projeto em desenvolvimento pelos setores de Psicologia e Fonoaudiologia Escolar em parceria com a coordenação da Educação Infantil e educadores, a fim de desenvolver a capacidade de diálogo, flexibilidade e autonomia dos estudantes

Está em curso no Colégio Franciscano São José de Erechim um projeto pioneiro que, a partir da capacitação de professores e do estímulo aos estudantes, promete entregar não apenas melhores resultados em sala de aula, como também um futuro com mais capacidade de diálogo, flexibilidade e autonomia na tomada de decisões por parte dos estudantes.

O Projeto ‘Estimulação Cognitiva em Escolares – Funções Executivas’ está sendo desenvolvido graças a uma parceria envolvendo a coordenação da Educação Infantil e os setores de Psicologia e Fonoaudiologia Educacional.

As atividades tiveram início em fevereiro com a apresentação da proposta aos professores e a formação de grupos de estudos encarregados de discutir o tema, conforme os segmentos: flexibilidade cognitiva, resolução de problemas, automonitoramento, planejamento e controle inibitório, explica a fonaudióloga do São José, Daniela Papich Agranionik. “O processo de aprendizagem ocorre ao longo da vida, durante todas as fases de desenvolvimento. No entanto, sabe-se que a infância apresenta períodos sensíveis para determinadas aprendizagens. Nesse sentido, a falta de estimulação adequada durante essa fase pode inibir, dificultar ou até impedir o desenvolvimento saudável de importantes aspectos motores, visuais, cognitivos e afetivos”, pontua Daniela.

A psicóloga da Educação Infantil do Colégio Franciscano São José, Caroline Andretta, destaca que as funções executivas são habilidades cognitivas necessárias para controlar e regular pensamentos, emoções e ações. “As crianças hoje são mais ativas do que eram antes. Assim, para uma formação completa, além do aspecto da emoção, a escola entende que é preciso potencializar o aprendizado nos momentos certos do desenvolvimento. Capacitando os professores, conseguiremos levar à sala de aula esta perspectiva – com ganhos para todos”, avalia.

Conforme a coordenadora da Educação Infantil, Josete de Ivanoff, estudos apontam que a eficiência das funções executivas prediz a saúde, o equilíbrio, a autonomia e, até mesmo, a prosperidade futura de crianças e jovens. “Ficamos encantados com o projeto apresentado por nossas equipes da Psicologia e da Fonoaudiologia que buscaram capacitação em cursos de renome nacional, e esperamos que a ideia possa alcançar o maior número possível de estudantes, inclusive de outras faixas etárias, pois acreditamos que todo cérebro responde a mudanças efetivamente e é isso que queremos para nossas crianças”, completa Tia Jô.

Comentários estão fechados.