A tentativa dos pré-candidatos de fora em criar cabos eleitorais de luxo

Estamos nos encaminhando para o final do mês de abril, e com o passar dos dias aumenta o número de pré-candidaturas a deputado (federal e estadual) na região Alto Uruguai. Se por um lado é bom termos pré-candidaturas regionais, o excesso deles pode inviabilizar aqueles que realmente tem condições de buscar uma vaga na Assembleia Legislativa ou Congresso Nacional. Todo filiado a um partido político tem o direito de concorrer a qualquer cargo eletivo desde que sua candidatura seja aprovada nas convenções partidárias, é natural e legítimo!

No entanto, todos sabem que algumas pré-candidaturas têm pouquíssimas chances de decolar durante o pleito eleitoral. É preciso mais do que colocar o nome, é imprescindível ter trabalho e base eleitoral. No período que antecede as convenções partidárias surge uma nova modalidade de pré-candidatos, que são denominados “cabos eleitorais de luxo”.

O que diferencia um cabo eleitoral de luxo de um cabo eleitoral comum é o fato de ele aparecer nos santinhos e receber uma pequena exposição em sua região de atuação. Além de ser iludido com a promessa de conquistar uma vaga com baixa votação, este na maioria das vezes, é uma liderança política expoente, que servirá apenas para trabalhar pelo candidato de fora que busca penetração em determinada região. Não critico os pré-candidatos de fora que buscam fortalecer suas candidaturas através dos cabos eleitorais de luxo, mas sim quem se deixa ser usado.

Quanto mais candidatos da região nós tivermos na disputada de outubro, menores serão as nossas chances de conquistar o tão sonhado espaço na Assembleia Legislativa e Congresso Nacional. A população do Alto Uruguai parece ter entendido a importância das candidaturas regionais e está mobilizada para tal, porém, cabe as lideranças políticas partidárias ter o discernimento necessário para que possamos voltar a ser protagonista, caso contrário continuaremos sendo uma fábrica de cabos eleitorais de luxo.

Por Fábio Lazzarotto

 

Comentários estão fechados.