A igreja tem o dever de interferir no poder político

Muito se ouve por aí afora de que a Igreja Católica não deve se meter na política, que ela deve apenas cuidar de seus fieis, mas eu discordo. Acho que como instituição, tem a obrigação de se meter na política quando os representantes do povo estiverem levando uma nação para o caos, como está acontecendo neste momento no Brasil.

Entendo que a Igreja Católica, como uma instituição religiosa que desfruta de credibilidade e poder de mobilização, tem o dever de denunciar toda essa corrupção e tentar passar a limpo uma nação que está sendo levada ao fundo do poço. Afinal, Jesus não teria expulsado os vendedores do templo a base de chicotadas? Neste momento, quando muitos políticos e o poder econômico corrupto estão vendendo uma nação inteira, não estaria na hora de a Igreja levantar seu “chicote” e expulsar estes malfeitores?

Quem tem a moral e a força neste momento para expulsar os vendedores da nação?

Sou católico praticante e não estou dizendo que a Igreja deve se meter nos partidos políticos. O que me refiro é que ela precisa interferir no poder político, sempre que ele colocar em risco uma nação. Se Jesus chegasse a Brasília hoje, com certeza faltaria chicote para expulsar tantos vendelhões. Aliás, não são apenas os políticos que estão vendendo o país, temos empresários e cidadãos comuns fazendo o mesmo. É algo inacreditável.

Por Egidio Lazzarotto

 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais