A igreja tem o dever de interferir no poder político

Muito se ouve por aí afora de que a Igreja Católica não deve se meter na política, que ela deve apenas cuidar de seus fieis, mas eu discordo. Acho que como instituição, tem a obrigação de se meter na política quando os representantes do povo estiverem levando uma nação para o caos, como está acontecendo neste momento no Brasil.

Entendo que a Igreja Católica, como uma instituição religiosa que desfruta de credibilidade e poder de mobilização, tem o dever de denunciar toda essa corrupção e tentar passar a limpo uma nação que está sendo levada ao fundo do poço. Afinal, Jesus não teria expulsado os vendedores do templo a base de chicotadas? Neste momento, quando muitos políticos e o poder econômico corrupto estão vendendo uma nação inteira, não estaria na hora de a Igreja levantar seu “chicote” e expulsar estes malfeitores?

Quem tem a moral e a força neste momento para expulsar os vendedores da nação?

Sou católico praticante e não estou dizendo que a Igreja deve se meter nos partidos políticos. O que me refiro é que ela precisa interferir no poder político, sempre que ele colocar em risco uma nação. Se Jesus chegasse a Brasília hoje, com certeza faltaria chicote para expulsar tantos vendelhões. Aliás, não são apenas os políticos que estão vendendo o país, temos empresários e cidadãos comuns fazendo o mesmo. É algo inacreditável.

Por Egidio Lazzarotto

 

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.