Sicredi realiza a neutralização das suas Emissões de Gases de Efeito Estufa

Mais de 35 mil toneladas de dióxido de carbono foram neutralizadas a partir de apoio a projeto de conservação florestal

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

O Sicredi passou a apoiar o Projeto REDD+ Jari Pará, iniciativa privada voltada a gerar créditos de carbono de conservação florestal na Amazônia, para neutralizar 35.793 toneladas de Gases de Efeito Estufa (GEE) emitidas em 2019 pela instituição financeira cooperativa. Realizada com o apoio da Biofílica, empresa focada em conservação florestal, esta é a primeira iniciativa do Sicredi em nível nacional com foco em neutralização de GEE e visa aprimorar as práticas sustentáveis de suas 108 cooperativas de crédito, localizadas em 23 estados brasileiros e Distrito Federal.

Segundo Olaf Brugman, superintendente de Sustentabilidade do Sicredi, o projeto de neutralização de emissões de GEE em nível nacional representa um avanço importante na estratégia de sustentabilidade da instituição. “Somos comprometidos com o impacto positivo nas regiões onde atuamos e queremos ser protagonistas no desenvolvimento sustentável em cada uma delas. Para isso, conhecer e minimizar o impacto das nossas operações e atividades é fundamental. Pela primeira vez, apuramos informações sobre todas as cooperativas e entidades do sistema, o que permitiu neutralizar os impactos levantados em nível nacional”, afirma.

Brugman explica que o Sicredi segue em aprimoramento constante das medições, a fim de tornar a operação mais ecoeficiente. “A partir dos resultados colhidos, com base em nossa política de sustentabilidade, estimulamos internamente a realização de ações que visam eficiência energética e geração de menos resíduos, entre outras iniciativas, para cuidar do meio ambiente e contribuir com o combate à mudança climática”.

Em 2019, o Sicredi construiu e divulgou seu segundo Inventário Sistêmico de Emissões de GEE, contendo informações sobre as emissões de todas as cooperativas de crédito integrantes da instituição. O documento, publicado junto ao Programa Brasileiro GHG Protocol, fornece subsídios para criação de estratégias com foco em reduzir emissões de Gases de Efeito Estufa, como utilização de energia renovável e redução de consumo de recursos naturais, por exemplo. O inventário também embasou o apoio ao projeto REDD+ Jari Pará, utilizado para realizar a neutralização das emissões de GEE.

O Projeto REDD+ Jari Pará (Projeto de Redução de Emissões provenientes de Desmatamento e Degradação Florestal somado a conservação dos estoques de carbono florestal, manejo sustentável de florestas e aumento dos estoques de carbono florestal), tem como objetivo evitar o desmatamento e minimizar impactos socioambientais, promovendo benefícios para o clima, biodiversidade e comunidades da região do município de Almeirim, no estado do Pará. A região abriga famílias rurais e forma um vasto corredor ecológico, tendo em seu entorno diversas Unidades de Conservação com rica biodiversidade e formações vegetais distintas. O Projeto REDD+ Jari Pará combina atividades de manejo florestal com comercialização de créditos de carbono que são gerados a partir de metodologias internacionalmente reconhecidas, a fim de evitar o desmatamento e minimizar impactos ambientais. A iniciativa contribui para a conservação de 496 mil hectares de Floresta Amazônica nativa e de sua biodiversidade, promovendo o desenvolvimento socioeconômico local.

O projeto é certificado pelo Verified Carbon Standard (VCS) e seus créditos estão registrados no Verra Registry, o que garante a rastreabilidade e qualidade dos créditos de carbono gerados pelo projeto. O registro dos 35.793 créditos de carbono, que são intransferíveis e exclusivos do Sicredi, pode ser localizado no link público da plataforma Verra Registry. Para se ter uma ideia, a quantidade de GEE neutralizada pelo Sicredi é equivalente a emissão de mais de 13 mil carros percorrendo 50 quilômetros todos os dias do ano.

ODS como norteadores

A estratégia de sustentabilidade do Sicredi foi reforçada, em 2020, quando a instituição aderiu ao Pacto Global da ONU, uma iniciativa do órgão para estimular empresas a adotarem políticas de responsabilidade social corporativa e de desenvolvimento sustentável por meio da adesão a dez princípios relacionados a direitos humanos, trabalho, meio ambiente e corrupção.

Ao aderir à iniciativa, o Sicredi passou a se comprometer em adotar os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) como norteadores de seu desenvolvimento. Os ODS foram definidos pela ONU para engajar organizações de todo o mundo em prol de metas como a erradicação da pobreza, o combate à mudança do clima e a preservação dos recursos naturais.

“Como participantes do Pacto Global, assumimos a responsabilidade de contribuir para o alcance da agenda mundial de sustentabilidade. Tendo os ODS como norteadores e seguindo os princípios do cooperativismo, queremos ampliar o nosso impacto positivo em relação ao meio ambiente, a exemplo do que já fazemos do ponto de vista econômico e social, levando benefício à comunidades de forma geral”, afirma Manfred Alfonso Dasenbrock, presidente da SicrediPar, da Central Sicredi PR/SP/RJ e membro do Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito (Woccu na sigla em inglês).

Saiba mais sobre sustentabilidade no Sicredi acessando a página www.sicredi.com.br/site/sobre-nos/sustentabilidade.

Sobre o Sicredi

O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 23 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br).

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais